Teste – Scania R164G 480 V8 – Rei da Estrada

Motor de 480cv é o maior destaque do Rei da Estrada

Scania R164G 480 V8 - Rei da Estrada




Scania R164G 480 V8 – Rei da Estrada

Sobra motor. Este é o jeito mais fácil de definir o desempenho do Rei da Estrada, série especial da Scania equipada com motor V8 e 16 litros e 480cv de potência, o mais potente do mercado brasileiro. O veículo é apropriado para tracionar composições do tipo bitrem e rodotrem em operações de transporte de longa distância.

Todo motorista gosta de acelerar um motor forte que faça o caminhão deslizar na rodovia, independente do tipo de relevo ou do tamanho e peso da carga. Boa parte dos cargueiros modernos atende com eficiência o requisito desempenho, mas nenhum com a mesma desenvoltura do Rei da Estrada, série especial da Scania Latin America lançada no ano passado cujo maior diferencial é o motor V8 de 16 litros que gera até 480hp de potência a 1900rpm.

Motor V8 de 16 litros é grande e potente
Motor V8 de 16 litros é grande e potente

O modelo avaliado pela equipe da Revista O Carreteiro é um 6X4 (disponível também na versão 4X2) atrelado a um rodotrem com 54 toneladas de soja. O resultado é fácil de adivinhar: um caminhão rápido que sobe e desce com meio acelerador, a uma boa velocidade de cruzeiro, mesmo tracionando um conjunto com 19,80m de comprimento e PBTC de 77.700kg.

Puxa grandes composições com facilidade
Puxa grandes composições com facilidade

O torque do motor DC16 02, com 8 cilindros em “V”, equipado com turbo intercooler, minimiza as trocas de marchas, dando mais conforto e segurança ao motorista. A posição da alavanca de câmbio (bem ao lado do motorista e revestida em couro) facilita os engates, mas não se pode esquecer que se trata de um veículo que tem de ser conduzido nas pontas dos dedos.

A caixa de marchas do Rei da Estrada é a GRS 900 de 14 velocidades, sendo 12 sincronizadas e duas crawler, combinadas numa seção de três velocidades. Devido à potência do motor, é um caminhão mais apropriado para motoristas tarimbados pois, entre outras coisas, erros de marchas podem danificar componentes internos da caixa de câmbio devido a força do motor.

Painel - Banco, volante e alavanca de marchas em couro
Painel – Banco, volante e alavanca de marchas em couro

O ambiente da cabine – que tem como destaque os bancos com revestimento em couro e suspensão a ar – contribui para o bem estar do motorista e resulta num menor desgaste do carreteiro, que ao final de um período ao volante não sente cansaço. Existem, também, certos incômodos decorrentes das características do rodotrem (solavancos transmitidos para a cabine) que são absorvidos, em parte, pelo conforto proporcionado pelo caminhão, mas que poderiam incomodar mais se fosse outro veículo.

O rodotrem – um tipo de implemento que exige muita atenção do motorista por ser formado por dois semi reboques interligados por um doli – tem seus segredos, pois dependendo da maneira como a carga está acomodada os trancos na boléia são maiores. Muito peso perto do doli significa mais solavancos no cavalo-mecânico, como se o motor estivesse engasgando.

A composição roda silenciosa e nem parece estar tracionando tanto peso. Ouve-se apenas o zumbido da turbina, em velocidade média de 80 km/hora com meio acelerador.

O giro de torque do “motorzão” é na faixa de 1.200 a 1.600 rpm e a relação de marchas foi bem trabalhada pela Scania, deixando o veículo um 6X4 longo com cubo simples (canela seca). O volante de direção, também é revestido em couro. Com quatro raios na sua parte inferior, permite uma visão completa do painel de instrumentos. Além disso, tem como componente de série regulagem da coluna de direção. Entre outros itens de conforto constam espelhos retrovisores com aquecimento e regulagem elétrica, assim como os levantadores de vidro das janelas.

Dentro da cabine, o painel de instrumentos, principalmente, é idêntico ao de outros modelos da série 4 equipados com motor de 12 litros. No Rei da Estrada, entretanto, por ser uma série especial já vem equipada com rádio CD player com AM e FM e alto-falantes. Estes e outros itens, como buzina a ar cromada e pintura especial, têm por finalidade dar um tom de elegância ao veículo, mas o cliente paga por tudo isso (R$ 280 mil, a versão 6X4).

O pacote eletrônico incorpora piloto automático e computador de bordo que dá ao motorista informações sobre temperatura do óleo, consumo de combustível e outros itens e parâmetros. O veículo conta, ainda, com controle de tração (sistema eletrônico que impede as rodas motrizes de patinar), sistema de freio ABS e freio motor com potência de 300cv, além de sistema que emite sons mantendo a concentração do motorista em longas viagens.

Painel com computador de bordo
Painel com computador de bordo

Como itens opcionais oferece o Opticruise (caixa de câmbio automática) e o sistema Scania Retarder, freio auxiliar que atua em cerca de 90% das reduções de velocidade, poupando os freios convencionais do veículo.

1006

Na parte externa da cabine, o Rei da Estrada é oferecido somente na cor azul perolizada e incorpora no pára-sol duas luzes laterais de marcação e três de identificação no centro. O objetivo destas luzes é facilitar a visualização do veículo à noite. Os pára-choques são pintados na mesma cor da cabine e as rodas são de alumínio.

Ficha técnica:

ficha

Fonte: Revista O Carreteiro




4 comentários em “Teste – Scania R164G 480 V8 – Rei da Estrada

  • 17/03/2011 em 11:47
    Permalink

    Referencia da tinta azul da Scania R164G 480 V8 – Rei da Estrada ?

    Resposta
  • 17/03/2011 em 11:44
    Permalink

    Quero fazer uma pergunta para que eu possa pintar o meu caminhão, qual a referencia dessa tinta da scania ,O rei da estrada.

    Aguardo resposta

    Atenciosamente

    Dário Teixeira
    (85) 8885 1129

    Resposta
    • 17/03/2011 em 12:35
      Permalink

      Não tenho nada que possa informar essa referencia! entre em contato com a Scania para poder ter alguma informação!

      Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!