Presa maior quadrilha de roubos de carga do Paraná

730x100

Bando é responsável pelo desvio de 1 milhão de reais em carregamentos

Uma das maiores quadrilhas de roubo de carga teve 10 integrantes presos na manhã desta terça-feira (14) numa operação que aconteceu simultaneamente em Maringá, Toledo e Cascavel, no Oeste do Paraná em na cidade de Santa Rosa, Rio Grande do Sul. A Policia Civil do Paraná que realizou a Operação ‘Carga Pesada’, credita ao bando roubos que chegam a 1 milhão de reais em carregamentos de roupas, eletroeletrônicos, calçados, notebooks, alimentos e pneus.

A investigação policial começou depois que uma carga de sapatos femininos de luxo avaliada em 500 mil reais foi apreendida em abril deste num barracão em Araucária, Região Metropolitana de Curitiba. O último grande roubo de autoria do grupo que era chefiado por Enézio Fagundes Ferreira, 40 anos, foi uma carga de pneus na última semana. Enézio foi preso em Toledo. A polícia realizou 10 mandados de prisão e 18 de busca e apreensão.
A organização para os assaltos a caminhoneiros era feita por telefone, com base em informações privilegiadas que vinham de três funcionários de transportadoras. Um deles, Valdir Wrobel, 42 anos, que residia em Santa Rosa de onde muitas cargas que foram roubadas eram expedidas, é acusado de repassar esta informações. Com as coordenadas em mãos, outros membros do bando faziam um mapeamento das rotas do caminhões para escolher então o melhor ponto para abordarem e subtraírem a carga. No planejamento era revisto se o veiculo tinha ou não equipamentos de rastreamento e monitoramento.

“Não somente o Paraná foi abrangido por estes criminosos, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo eram áreas de atuação. É a maior organização criminosa do ramo de roubos de carga desmantelada pela polícia do Estado”, disse o delegado-chefe da Delegacia de Estelionato e Desvio de Carga (DEDC), Marcus Michelotto.

Um segmento da quadrilha era especializado no armazenamento e negociação dos produtos roubados com receptadores. Segundo a polícia alguns destes ‘negociadores’ também eram donos de estabelecimentos comerciais, inserindo as mercadorias furtadas diretamente no varejo.

Dos 10 presos, 8 já tiveram passagens pela polícia por roubo de carga ou receptação. Eles estão encarcerados em Cascavel, juntamente com cargas roubadas. O delegado Michelotto afirmou que já está enviado uma diligência para trazê-los a capital. “O trabalho de investigação ainda continua, temos mais quatro pessoa para prender e sabemos até o paradeiro delas. A quadrilha era bem organizada e a grande soma de cargas roubadas por eles é resultado disso. Além das informações fornecidas por funcionários de transportadoras, muitos dos criminosos se passavam por amigos de caminhoneiros para ter outras fontes de informação” informou Michelotto. “Acredito que até esta quarta-feira já teremos pelos menos mais dois membros desta quadrilha atrás das grades”.

Lista das prisões

Onézio Fagundes Ferreira, 40 anos – preso em Toledo, suspeito de ser o chefe da quadrilha

Valdir Wrobel, 42 anos – preso em Santa Rosa, acusado de repassar informações de caminhões que seriam roubados

Osmar de Oliveira, 38 anos – preso em Toledo, acusado de transportar mercadorias roubadas

Aldo Renato dos Santos, 40 anos – preso em Cascavel, suspeito de repassar coordenadas dos caminhões a serem roubados

Amarildo Antonio Ferreira de Lima, 39 anos – preso em Cascavel, suspeito de auxiliar o grupo na administração das cargas roubadas e de intermediá-las com outras quadrilhas receptadoras

Valdecir José Ferreira Ramos, 45 anos – preso em Maringá, teria ajudado no armazenamento de mercadoria roubada e participava de outra quadrilha do mesmo ramo

Manoel Bravo Coco, 43 anos – preso em Maringá, suspeito de comandar uma quadrilha menor que mantinha parceria nos crimes

Valdecir Roberto da Silva, 41 anos – preso em Maringá, acusado de negociar cargas roubadas

Pedro Ferreira da Silva Filho, 32 anos – preso em Toledo, estava em poder da carga de pneus roubada na última semana

Fonte: Jornale
336x280
Adicionar a favoritos link permanente.

Comentários

  1. anderson disse:

    estas almas sujas sao as que acabam com a imagem dos profissionais carreteiros que utilizam a profissao de boa fe para ganhar o pao de cada dia

  2. carlos disse:

    Enfim conseguiram apanhar um bando de ratões bem nutridos.
    Chega, nós motoristas, se fomos roubados, alem de termos prejuizo, somos vistos com cumplice da quadrilha.
    Pode largar a profissão, sempre vão achar que estamos no esquema. Nos dias de hoje tá dificil viver desta profissão.

  • Promoção