Queda na produção de caminhões e máquinas agrícolas pode ter demissões como reflexo




O presidente da Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Jackson Schneider, disse hoje que a queda na produção de alguns segmentos, como máquinas agrícolas e caminhões, pode ter reflexos nos níveis de emprego dessas indústrias em decorrência de possíveis demissões.

“Essa [realizar demissões] é uma decisão muito específica de cada empresa. Em alguns segmentos, a queda de produção é muito significativa. O segmento de máquinas agrícolas está produzindo 35% a menos e o segmento de caminhões,  até 40% a menos do que se produzia no ano passado. Naturalmente, isso é um efeito importante para a produção e é a produção que segura o emprego”, disse hoje (4) após apresentação dos dados da indústria automobilística.

No setor de automóveis, as ocupações caíram de 126.542, registradas em maio do ano passado, para 120.378 em maio deste ano. Isso representa uma redução de 4,9%. No segmento de máquinas agrícolas, houve uma redução de 15,5% no número pessoas empregadas. Eram 17.148 em maio de 2008 e, agora, foram contabilizados 14.490 empregos no segmento.

A redução do número de empregos é acompanhada da queda nas vendas e na produção. No mês passado, foram vendidos 7.393 caminhões no  país, o que representa 23% menos em relação às vendas de maio de 2008,  quando foram comercializadas 9.606 unidades. Já a produção de caminhões, no mês passado, foi de 9.511 contra os 13.407 de maio do ano passado, o que significa uma redução de 29,1%.

A produção total de veículos foi menor 7,7% no mês passado em relação a maio de 2008. Foram produzidas 270.247 unidades em maio de 2009  e 292.740 em maio de 2008.

Já a produção de máquinas agrícolas caiu 31,2% na comparação de maio deste ano (4.457 unidades) com a produção de maio do ano passado, (6.474 unidades).

As exportações de veículos também apresentaram queda significativa, no mês de maio e no acumulado do ano. Nos cinco primeiros meses de 2009, foram vendidas para o exterior 124.903 unidades, uma redução de 46,2% na comparação com o mesmo período do ano passado (vendas externas de 232.208 unidades).

Na comparação de maio deste ano com o mesmo mês de 2008, a retração foi de 24%, sendo 32.530 veículos exportados neste ano e 42.801 no ano passado.

Schneider, no entanto, não relacionou a queda nas exportações a problemas da produção doméstica. Ele atribuiu o fenômeno a problemas nas economias dos países importadores. “Os mercados internos dos países para os quais nos exportamos caiu de forma contundente.”

Fonte: Agência Brasil

Inscreva-se




Deixe sua opinião sobre o assunto!