Exposição “A Mata Atlântica é aqui” chega este mês em Paranaguá

O caminhão do projeto




O caminhão do projeto

O projeto “A Mata Atlântica é aqui – exposição itinerante do cidadão atuante” estará em Paranaguá de 19 a 23 de agosto. O caminhão, adaptado pela Fundação SOS Mata Atlântica, ficará estacionado na Praça 29 de Julho para mostrar as diversas iniciativas existentes no País para a conservação do bioma.

O projeto conta com palco para manifestações artísticas de temática socioambiental, túnel dos sentidos, atividades lúdicas e exposições que visam sensibilizar o público sobre a importância da Mata Atlântica para a vida das pessoas. “Esta última passagem pelo Paraná, neste ano, servirá para mostrarmos a força e a importância que o estado tem na conservação da Mata Atlântica e a urgência em se preservar os 9,85% de remanescentes que restaram da floresta”, conta Nádia Aun, coordenadora do projeto. A iniciativa tem o patrocínio de Bradesco Cartões, Natura e Volkswagen Caminhões e Ônibus. Em Paranaguá, o projeto contará também com a participação do ICMBIO Guaraqueçaba e da Secretaria Municipal do Meio Ambiente. Todas as atividades são gratuitas e abertas ao público.

Durante toda a estadia na cidade, acontecerão atividades para todas as idades, como o Túnel dos Sentidos (por onde as pessoas entram de olhos vendados e podem resgatar sua relação com os cheiros, sons e texturas da floresta); o Jogo da Cidadania (jogo no qual os participantes atuam como os pinos em cima de um tabuleiro gigante); e o Jogo da Memória, com espécies de animais e plantas exclusivas da Mata Atlântica. As visitas monitoradas com escolas e outros grupos da região e o plantio simbólico de espécies, entre outras atividades, acontecerão de acordo com a programação. Em Paranaguá, as atividades do dia 19 acontecerão das 11h às 16h, e nos demais dias, das 10h às 16h.

Monitoramento da qualidade da água

A Fundação SOS Mata Atlântica seleciona um rio, córrego ou lago em cada uma das cidades por onde passa o projeto, e realiza a coleta de água usando um kit de monitoramento, que faz a análise englobando 14 parâmetros físico-químicos, como transparência da água, lixo, odor, oxigênio dissolvido, demanda bioquímica de oxigênio, entre outras. Em Paranaguá, a coleta para monitoramento da qualidade da água acontecerá no primeiro dia, às 11 horas da manhã, no Rio Itiberê, localizado próximo à Praça 29 de Julho. O resultado será divulgado ao final da estadia do projeto na cidade.

A Mata Atlântica é Aqui

O Estado do Paraná possuía originalmente todo o seu território dentro do bioma Mata Atlântica. Com os ciclos econômicos, a floresta foi sendo desmatada e, hoje, segundo o Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica, divulgado em maio pela Fundação SOS Mata Atlântica e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), restam apenas 9,85% da floresta no Estado.

“Nas outras cidades do Estado por onde passamos, tivemos a participação de mais de 3.000 pessoas. Isso mostra a importância da conscientização e que todos vejam que moram na Mata Atlântica e que a água que utilizam, o ar que respiram e o clima regulado que usufruem são propiciados pela floresta. É imprescindível conservar o que sobrou da floresta e promover esforços para sua recuperação”, salienta Nádia. Paranaguá, que também tinha originalmente todo seu território coberto pela Mata Atlântica, hoje tem apenas 48% de remanescentes do bioma.

Em cada cidade por onde passa o projeto, os educadores ambientais da SOS Mata Atlântica estimulam a criação de novos agentes multiplicadores em defesa da causa ambiental. “Queremos alertar sobre a importância da Mata Atlântica e a sua influência na vida das pessoas, mostrando que cada pequena atitude pode interferir na nossa qualidade de vida”, explica Lemuel Santos, o Rex, um dos monitores da exposição. “Vamos receber escolas em horários agendados e discutir temas como educação ambiental e restauração florestal com profissionais que atuam aqui na região”, complementa a também monitora Rosana Duarte.

Após a estadia em Paranaguá, o projeto sai do estado do Paraná e segue para o estado de São Paulo, por onde passará por mais nove cidades. Depois, segue para o Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e retorna a Santa Catarina, onde termina a viagem deste ano. Ao todo terão sido visitadas 40 cidades das regiões Sul, Sudeste e do estado do Mato Grosso do Sul, no Centro-Oeste, durante um ano. A viagem começou em São Paulo, seguiu para o Mato Grosso do Sul e já passou por seis cidades do Paraná e por Santa Catarina.

Fonte: Correio do Litoral

Inscreva-se




Deixe sua opinião sobre o assunto!