Cummins lança novos motores e anuncia aprovação para o B20

Novo motor Cummins ISL




Novo motor Cummins ISL

Antecipando as novidades que apresentará na Fenatran, a Cummins anunciou na última semana dois novos motores para o mercado de veículos pesados. São eles: o ISF 2.8 e o ISF 3.8 litros, ambos com quatro cilindros, para caminhões de até nove toneladas.

Para a nova categoria de motores, a Cummins trabalhará com o sistema SCR (Redução Catalítica Seletiva) que une o gerenciamento do motor à função de pós-tratamento transformando o NOx (Óxido e Dióxido de Nitrogênio) em Nitrogênio e água, por meio da utilização do Arla 32, um produto químico composto por 32,5% de uréia dissolvida em água.

Ao justificar a preferência pela solução, Luis Chain Faraj, Gerente Executivo de Marketing e Engenharia de Clientes, pontuou que o SCR pode ser até 10% mais eficiente que o EGR (outra tecnologia em evidência no mercado), é até 8% mais econômico no consumo de combustível com uréia, se comparado com o Euro 3, possui 10% a mais de potência que o EGR, intervalos de manutenção 50% maior se comparado com a mesma solução, é menos sensível ao alto teor de enxofre e tem mais durabilidade.

“Em todo o pacote de 2010 será usado o SCR. E o ponto chave para essa escolha foi o consumo de combustível”, declarou o executivo.

Como vantagens o ISF 3.8 traz menor peso – 100 quilos a menos – e, assim como o ISF 2.8, melhores índices de manutenção. Este último, chega ao mercado mais leve ainda, com menos 214 quilos.

Outro benefício do novo propulsor é a potência – até 170 cavalos. “Conseguimos aumentar a potência sem aumentar o tamanho do motor”, disse Faraj. E ressalta a característica do ISF 3.8, “fizemos um estudo e verificamos uma lacuna no mercado. Nenhum outro fabricante chegou a essa cilindrada com este nível de potência”, observou.

A previsão inicial da fabricante é comercializar 20 mil motores em longo prazo para o setor de caminhões e cinco mil motores para o mercado de ônibus, conforme relatou Luis Pasquotto, Diretor Geral da Unidade de Negócios de Motores da Cummins.

Soluções integradas

“A Cummins entende que o foco não está apenas no motor, mas no desenvolvimento de tecnologias paralelas e soluções integradas; isso tem diferenciado a Cummins no mercado”, conta Pasquotto.

Com esta visão a fabricante de motores busca adaptar suas soluções ao Euro 5. Assim trabalha um conjunto em sintonia que agrega os motores da marca, o sistema SCR, os turbos compressores da Cummins Turbo Technologies e os filtros de ar da Cummins Filtration, que também serão exibidos durante um dos maiores eventos de veículos pesados do setor automotivo mundial. O principal destaque desses novos produtos é o tamanho – 50% menor que os concorrentes, o que permite melhor adaptação.

Fornecimento de uréia

Dentro da proposta de fornecer soluções integradas, a Cummins também oferecerá ao mercado brasileiro a ureia, que deverá ser adota paralelamente ao consumo de diesel.

Segundo a fabricante, a proporção para o uso de ureia no diesel será de entre 4% a 6%. “Em um caminhão pesado que rode 120 mil quilômetros por ano haverá o consumo de 60 mil litros de diesel e três mil de uréia, anualmente”, sugeriu Faraj

Por identificar um déficit no Brasil no fornecimento do produto, a empresa, em princípio, fará a importação da ureia.

B20

A Cummins também anunciou que aprovou a utilização do B20 (20% de biodiesel) para os motores que fabrica. Para a empresa, as principais vantagens da solução estão no maior poder de lubrificação e na ausência de enxofre, o que reduz significativamente os níveis de emissões de poluentes.

No entanto, a fabricante notifica que os veículos e equipamentos que possuem motores da marca devem ser avaliados para conferir a liberação do uso do B20. A empresa já iniciou os testes com o B100.

Fonte: WebTranspo

Inscreva-se




Deixe sua opinião sobre o assunto!