Transmissões cada vez mais ‘inteligentes’




As novas transmissões automáticas Allison, que chegam ao Brasil em 2010, privilegiam o melhor aproveitamento dos motores em todas as situações e a otimização do consumo de combustível.

Na mostra mais importante de logística e veículos comerciais da América Latina, a Fenatran ― Salão Internacional dos Transportes ―, a Allison Transmission dá mais uma mostra do porquê da sua liderança mundial. Apresenta ao consumidor transmissões automáticas com avanços tecnológicos que foram desenvolvidos de forma a otimizar o consumo de combustível e proporcionar maior rendimento ao veículo em qualquer situação de trabalho.

Em suas já consagradas transmissões “on-highway” (para uso urbano e rodoviário) disponíveis na Região ― que englobam as linhas 1000, 2000, 3000 e 4000 ―, novos e mais avançados comandos eletrônicos são os grandes responsáveis pela sua “inteligência” de funcionamento. A empresa se empenhou ao máximo em seu propósito de melhor aproveitar as boas características dos motores a que elas estão acopladas. Proteger o trem de força do veículo, otimizar o consumo de combustível proporcionando economia de operação e, consequentemente, privilegiar a redução das emissões de poluentes são apenas algumas das boas particularidades das suas transmissões automáticas.

Os modelos que estarão disponíveis para toda a América Latina em 2010 passaram por significativas mudanças internas e externas e, como sempre, estão direcionados para melhorar a agilidade operacional e aumentar o conforto do usuário. Em seus programas de trabalho, por exemplo, estão disponíveis inúmeros mapas de trocas de marchas, que podem proporcionar ao cliente mais de 100 alternativas de atuação. Uma delas, com certeza, estará de acordo com a especificidade da aplicação do usuário. Testes realizados pela empresa, na Europa, apontam para um ganho operacional/consumo de até 10%.

Vantagens da transmissão automática – Mais simples de operar, proporcionam menor tensão no dia-a-dia do motorista aumentando a segurança do trânsito. Em função dessas e de inúmeras outras qualidades o mercado global de veículos comerciais ― ônibus e caminhões ― está cada vez mais voltado para equipar seus modelos com transmissões automáticas. Esse é um indicador que não tem passado despercebido pela Allison Transmission: a demanda por transmissões totalmente automáticas vem crescendo mundialmente com o decorrer do tempo.

As grandes frotas de veículos comerciais estão cada vez mais se rendendo aos comprovados argumentos de que a redução dos custos de manutenção, aliados ao significativo aumento da durabilidade e da disponibilidade dos veículos justificam um investimento inicial maior. As transmissões automáticas também são responsáveis por uma melhoria de desempenho e produtividade entre 10% e 20%, se comparadas com as transmissões manuais ou automatizadas.

Em muitas aplicações um caminhão de custo e categoria inferior, quando equipado com transmissão automática, pode obter melhor desempenho e eficiência do que um veículo de categoria superior equipado com transmissão convencional ou automatizada. Também o ciclo de vida do sistema de transmissão do veículo ― eixo propulsor, diferencial, sistema planetário, juntas universais, ― fica sensivelmente ampliado devido à inexistência de trancos durante as trocas de marchas.

O conversor de torque da transmissão automática é “ferramenta” poderosa na partida do veículo em rampas, condições de baixa aderência ou em situações extremas. Outra característica importante que aumenta a segurança, bem como a vida útil dos freios de serviço, é a presença do retardador integrado à transmissão.

Alguns destaques da linha Allison 2010: LBSS ― Load Based Shift Schedule (Mapa de troca de marchas baseado na carga do veículo) ― Trata-se de um sensor que adéqua automaticamente a calibração de trocas de marcha, de acordo com o PBT do veículo, objetivando melhor consumo de combustível.

VAC ― Vehicle Acceleration Control (Controle de aceleração do veículo) ― Limita a aceleração do veículo através de um sistema de gerenciamento de torque do motor; permite utilizar potência total quando o veículo está totalmente carregado e reduz a potência quando em operação com menos carga.

Transmissão de seis marchas ― Uma das vantagens óbvias de um câmbio com maior número de marchas é o fato de elas estarem umas mais ‘próximas’ das outras. Isso melhora a aceleração e facilita o aproveitamento da faixa útil de torque do motor. Outro benefício dessa transmissão automática é que quinta e sexta marchas são overdrive (sobremarcha). Ou seja, são longas o suficiente para manter o veículo em velocidade cruzeiro com menor regime de rotações do motor. Isso garante redução do consumo de combustível e baixo nível de emissões de poluentes.

Inúmeros mapas de troca de marchas ― Mais de 100 diferentes alternativas de calibrações para as mudanças dos pontos de trocas de marchas, operando da forma que melhor se adapta às necessidades do cliente, com um ganho de operacionalização e consumo da ordem de até 10%.

RELS ― Reduced Engine Load at Stop (Redução da carga do motor em paradas) ― Permite a redução da carga do motor durante paradas. Isto significa que nesta condição a transmissão automática atua quase como se estivesse na posição Neutro, com consequente menor esforço do conjunto e menor consumo de combustível.

Fonte: Portal Fator Brasil

Inscreva-se




Deixe sua opinião sobre o assunto!