Vida de caminhoneiro – Uruguaio reclama da violência das cidades brasileiras




Há mais de 11 anos na boleia, Larrosa critica falta de segurança, principalmente perto de grandes centros urbanos

A vida de Honório Larrosa, de 48 anos, tem sido viajar por toda a América do Sul com a mulher conhecendo as mais variadas situações. Mas, o que deixa o uruguaio de Montevidéu fora de si é a violência nas grandes cidades brasileiras. Larrosa foi assaltado no fim de outubro quando estava vazio, sem carga para entregar, na marginal Tietê. “Foi escandaloso, quase perdi a vida. A segurança deveria ser maior, principalmente nas grandes cidades”, afirma o uruguaio.

Para Larrosa, o problema acontece porque não há fiscalização e policiamento. “O cara buzinou e fez um sinal mostrando que meu caminhão tinha um problema. Quando desci, ele encostou o revólver na minha cabeça e me ameaçou”, diz Larrosa. “Consegui desviar a atenção dele fingindo que alguém me chamava na expressa. Se houvesse policiamento ele estaria preso agora. Como não há, outro caminhoneiro pode ser a próxima vítima.” O uruguaio aponta o Rio de Janeiro como outra cidade para se tomar cuidado com pontos muito perigosos.

Mas a vida não é só perigo para o uruguaio. Em 11 anos de boleia, Larrosa conhece quase toda a Argentina, o Uruguai e o Chile e só tem lembranças boas para contar. “A rota argentina é muito linda, uma das viagens mais lindas da América, todos que gostam de viajar deveriam fazer este caminho”, aconselha Larrosa.
Além de conhecer o Cone Sul, Larrosa conheceu muitas cidades brasileiras da região Sul e algumas cidades em São Paulo. “Todo lugar tem a sua beleza, mas as cidades brasileiras, em geral, são muito bonitas. As pessoas são muito simpáticas, isso também ajuda muito”, completa Larrosa.

O sonho do uruguaio é bem simples. “Quero ter dinheiro para comprar a minha casa. Depois disso, o que vier está bom”, revela. Sobre o trabalho, Larrosa acredita que o melhor a se fazer hoje é trabalhar para uma empresa. “Eles pagam bem, você não se preocupa com os reparos do caminhão e não tem de ficar correndo atrás de mercadoria.”

Para o amigo caminhoneiro, Larrosa não perde a oportunidade e indica muito cuidado com a segurança, principalmente perto de grandes cidades. “Todo cuidado é pouco, evite postos desconhecidos e parar em lugares desertos. Isso vale muito na estrada.”

Fonte: TranspoShop

Inscreva-se




Um comentário em “Vida de caminhoneiro – Uruguaio reclama da violência das cidades brasileiras

  • 28/04/2010 em 16:43
    Permalink

    Oi Rafael, tudo bem?
    Li sua matéria sobre o uruguaio Honório Larrosa e me interessei muito. Sou jornalista do Rio de Janeiro, trabalho para o Canal Futura, no programa Entre Fronteiras, que trata sobre personagens e histórias marcantes nas fronteiras do Brasil. Será que você teria o contato do Larrosa, para discutirmos a viabilidade de fazer uma entrevista com ele?

    Muito obrigada.

    Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!