Gratuidade em exames do Detran para rodoviários




O vice-presidente do Detran, Sergio Tranjan (dir.), ao lado do sindicalista Antônio Tristão (esq.), recebe determinação do governador para evitar burocracia no atendimento aos rodoviários

O ano de 2010 começa com uma boa surpresa para motoristas de ônibus e caminhoneiros do Estado do Rio. Desde o dia 4, o Detran-RJ passou a realizar, gratuitamente, exames médico e psicológico para os condutores de coletivos e de caminhão que desejam renovar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). A medida atende a decreto do governador Sérgio Cabral, publicado no Diário Oficial do último dia 18 de dezembro, e representa uma economia de R$ 106,28 para o bolso dos rodoviários.

Conforme orientação do governador, o presidente do Detran, Fernando Avelino, reuniu sua equipe e, junto com o Sindicato dos Rodoviários do Estado do Rio, traçou, na última semana de 2009, os procedimentos para que a categoria obtenha o benefício. Neste primeiro momento, os motoristas serão atendidos no posto de habilitação da sede do Detran, na Avenida Presidente Vargas, 817. Para tanto, é necessário que eles procurem o sindicato, que será responsável pelo encaminhamento dos interessados ao Detran. Para Teresópolis, a gratuidade atingirá aproximadamente 2 mil rodoviários que, atualmente, estão associados ao Sindicato dos Rodoviários da cidade.

Ainda este mês, o Detran planeja estender o atendimento a diversos pontos do estado. A ideia é que os exames passem a ser realizados por equipes médicas do órgão, que visitariam, de acordo com uma agenda, as unidades do Sindicato dos Rodoviários distribuídas pelo estado.

“Por enquanto, não temos estrutura para fazer os exames aqui em Teresópolis. Mas estamos aguardando orientações do próprio Detran pra saber que tipo de estrutura temos que disponibilizar para que, semanalmente, os profissionais venham à sede para realizar os exames. Por enquanto, os gastos serão pagos pelo rodoviário, mas mesmo assim vale a pena”, explicou o presidente do sindicato, José Maria Vieira da Motta. Ele acrescentou que o prazo aproximado é de quatro meses, uma vez que o sindicato já dispõe de uma sala que pode ser usada para esse fim.

Fonte: O Diário de Teresópolis

Inscreva-se




Deixe sua opinião sobre o assunto!