IPI zero para caminhões e comerciais leves traz otimismo para o setor automotivo




O segmento de caminhões, caminhonetes, furgões, picapes, entre outros veículos leves de transporte, inicia 2010 com a expectativa de aumentar as vendas em relação a 2009. O governo federal prorrogou a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para o setor, com alíquota zero, até 30 de junho deste ano. A decisão foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União da última quarta-feira, 30 de dezembro.

Com a medida, concessionários que atuam no ramo estão confiantes quanto ao bom desempenho na comercialização de veículos zero quilômetro. Para Adriana do Carmo de Souza, consultora do Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos Autorizados do Distrito Federal (SINCODIV/DF) e secretária de Vendas de uma das concessionárias do setor no DF, com a redução do IPI, é possível chegar a um preço competitivo. “A medida torna as condições de financiamentos mais acessíveis. Os frotistas percebem que é melhor investir em novas unidades do que gastar com a manutenção de carros antigos, cujo custo pode ser bastante alto”, considera.

Ela afirma que aliada às linhas de crédito especiais para o financiamento de caminhões, provenientes do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a alíquota zero do IPI ganha ainda mais força. “Já observamos uma melhora nas vendas do segundo semestre para o primeiro em 2009. Acredito que, este ano, poderemos obter resultados ainda mais expressivos”, completa.

O gerente de Vendas na área de Caminhões da Brasília Motors, concessionária da Mercedes Benz, Rogério Vilela, também acredita em uma ótima recuperação do setor em 2010. Mas, de acordo com ele, apenas a alíquota menor do IPI não impacta tanto na compra do caminhão.

Vilela acredita que a medida do governo traz bons resultados, mas, principalmente, combinada o financiamento especial para caminhões, o Finame do Programa de Sustentabilidade e Investimentos (PSI). A linha de crédito oferece uma taxa de juros fixa de 7% ao ano. “Isso impacta bastante, uma vez que quase todos os bancos disponibilizam essa modalidade, com uma taxa mensal de cerca de 0,57%. Ficou mais vantajoso em investir em um caminhão zero quilômetro”, afirma.

Segundo o especialista, o mercado vai reagir bem a essa prorrogação do IPI mais barato. “As perspectivas são as melhores possíveis, tanto que os fabricantes apostam em um mercado 20% maior que 2009, que já foi muito bom. No segundo semestre do ano passado, por exemplo, a empresa teve um crescimento nas vendas de cerca de 50%, em relação ao primeiro. A expectativa é de que as montadoras aumentem a produção em 2010”, argumenta.

Fonte: Portal Fator Brasil

Inscreva-se




Deixe sua opinião sobre o assunto!