Motoristas criticam conservação das rodovias que cortam Marília-SP




SP-333 tem lombada de asfalto no canto da pista; trepidações ao longo do trecho atrapalham trânsito

Parado no posto de serviços na manhã de ontem o caminhoneiro Gilberto de Souza, 30 anos, trocava as peças do rodo-ar de seu caminhão. Item foi quebrado, segundo ele, devido às trepidações da SP-333, rodovia Dona Leonor Mendes de Barros, que liga Marília à BR-153.

“É um prejuízo grande para a gente. Hoje, gastei R$ 15 com as peças, mas a longo prazo, pode colocar aí pneus, molas e outras coisas mais”, diz o caminhoneiro.

Situação vivenciada por Souza também é sentida na pele por mais de 3 mil caminhoneiros e motoristas que passam diariamente pelos trechos da SP-333 e também da SP-294, rodovia Comandante João Ribeiro de Barros. Sem reparos, pistas concentram buracos, asfalto esfarelando e muita trepidação.

“Estão horrível. Todas as pistas estão em situação lastimável. A única coisa que fazem é remendar, o que não adianta nada”, diz enfurecido o caminhoneiro Márcio Luiz de Matos, 41.

Gilberto teve de parar para consertar caminhão quebrado após passar pelas ondulações e buracos

E é próximo ao Country Club, altura do km 320, que as condições da rodovia estão piores. No local, deslocamento do asfalto chega a formar uma lombada, seguida de buracos espalhados pela pista de ambos os lados. Caminhões e carretas são obrigados a passar em velocidade baixa.

Na SP-294 situação não é melhor. Da base da PRE (Polícia Rodoviária Estadual) ao Marília Shopping, trepidação e asfalto esfarelando pela pista também prejudicam o trânsito de veículos no local.

Polícia orienta cuidados no trecho

Pela SP-294 e SP-333 passam, diariamente, cerca de 2 mil caminhões e 1 mil veículos, respectivamente, calcula a Polícia Rodoviária Estadual (PRE). Com buracos e trepidação, cuidados do motorista devem ser redobrados, principalmente se as condições forem de chuva.

É o que alerta o sargento comandante da base operacional de Marília da PRE, Celso Plaza. Segundo ele, trecho da Comandante João Ribeiro de Barros até Pompeia precisa de atenção do motorista por conta de obras. Já na SP-333, não há pista interditada.

As condições do veículo também devem ser rigorosamente verificadas antes de se pegar a pista. O motorista deve checar os pneus, estepe e macaco, além da documentação, que precisa estar em dia.

“A combinação de pneu ruim, velocidade e chuva pode ser fatal”, reforça o sargento. Com chuva, orientação é para que os veículos sigam com farol acesso, mantendo a distância de segurança sempre.

Fonte: Jornal Diário




Um comentário em “Motoristas criticam conservação das rodovias que cortam Marília-SP

  • 25/02/2010 em 09:08
    Permalink

    da unimar até trevo do country, tudo podre, nada que o Sr. Vinicios não possa arrumar.

    Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!