Balança sem funcionar a 5 meses complica fiscalização




Inspetora Jane Santos diz que a PRF verifica pelo menos 12 veículos por dia

Sem contar há cinco meses com o funcionamento da balança de pesagem de veículos do posto da BR-365, saída para Ituiutaba, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) se esforça para conter a circulação de caminhões com excesso de peso. O equipamento está aguardando aferição do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) e deve voltar a funcionar em até três semanas.

Segundo a inspetora da PRF Jane da Silva Fonseca Santos, de junho a agosto deste ano, 23 motoristas foram multados e notificados ao Ministério Público Federal por trafegarem com carga acima do permitido. Os registros foram nas BRs 050, 365 e 452, que cortam Uberlândia e são administradas pela PRF. “O número é baixo, poderia ser bem maior. Mas é o que registramos por causa do não funcionamento da balança”, afirmou.

De acordo com Jane Santos, o excesso de peso é uma das principais causas de deterioração da pista. “E é um problema, também, para os motoristas, pois, em uma situação iminente de risco, o veículo não consegue parar, o que aumenta a chance de se envolver em um acidente”, afirmou.

Para tentar conter o tráfego com peso acima do permitido, a PRF verifica pelo menos 12 veículos por dia. “É consultada a nota fiscal, que muitas vezes traz o peso do caminhão carregado”, disse a inspetora. Caso não esteja descrito na nota, a pesagem é feita na balança particular de uma empresa próxima, em parceria com a PRF.

De acordo com a inspetora, o peso de cada veículo é estipulado de acordo com o fabricante. “Têm caminhões bitrens que trafegam com até 80 toneladas e não estão com excesso. Outros caminhões menores podem ser notificados com 15 toneladas”, disse.

Multas se revertem em equipamentos

O valor arrecadado com as multas aplicadas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) é revertido em equipamentos para instituições como a própria PRF, a Polícia Rodoviária Estadual (PRE) e o Corpo de Bombeiros. A PRF de Uberlândia já recebeu viaturas, motos, etilômetros e computadores. “Vale lembrar que o objetivo das multas não é a arrecadação, mas a correção do problema. No caso do excesso de peso, todas as empresas notificadas ao Ministério Público e ouvidas pelo juiz pararam de circular com peso acima do permitido. É um reconhecimento do nosso trabalho”, afirmou a inspetora da PRF, Jane da Silva Fonseca Santos.

Fonte: Correio de Uberlândia




Um comentário em “Balança sem funcionar a 5 meses complica fiscalização

  • 31/05/2014 em 18:32
    Permalink

    Eu ja pedi e continuo pedindo uma balança na br-354no km- 368 para pesar os caminhoes que em sentido Belo Horizonte com o pbt legal e voltam carregados de areia arrebentando o asfalto todo como está la para todo mundo ver.

    Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!