Só da Brasil em Hanover




A 63ª edição do Salão de Hanover abre as portas de 23 a 30 de setembro com o tema “Veículos comerciais: inteligentes, flexíveis e à prova do futuro”. Mas a temática principal da edição de 2010 do maior evento de caminhões, ônibus e comerciais leves do mundo seria melhor expressa por outra frase: “Brasil, estamos de olho em vocês”. Ao longo das apresentações das novidades do evento à imprensa especializada internacional, não faltaram elogios ao bom desempenho do mercado brasileiro, um dos primeiros a sair da crise econômica mundial que, desde o final de 2008, mantém “anestesiados” mercados importantes como Europa, Japão e Estados Unidos. Mesmo longe do ritmo de países como a China e a Índia, o crescimento do mercado brasileiro é o assunto do momento no setor.

A MAN já atua no Brasil desde que assumiu o controle da divisão de caminhões e ônibus da Volkswagen e não tem do que reclamar do seu desempenho. Mas a empresa alemã aproveitou o evento em Hanover para anunciar oficialmente que, até o início do ano que vem, irá começar a produzir na fábrica da Volkswagen em Resende, no Rio de Janeiro, o primeiro caminhão brasileiro com a marca MAN. O modelo escolhido é o TGX, o topo de linha da marca. Já a holandesa DAF sempre esteve fora do Brasil, mas também aproveitou o evento alemão para avisar que essa ausência tem seus dias contados. “Estamos estudando como chegar no Brasil, um mercado de 100 mil caminhões por ano”, repetiram alguns executivos da empresa, como se fosse um mantra. De quebra, a DAF aproveitou o evento de Hanover para exibir uma versão híbrida de série de seu caminhão LF45.160.

Como não poderia deixar de ser, os modelos híbridos, elétricos e “ecologicamente corretos” em geral foram outro assunto recorrente. No setor de comerciais leves, a briga dos elétricos mais festejados ficou entre o Renault Kangoo Express Z.E. – que teve sua apresentação mundial em Hanover – e o Ford Transit Connect Eletric. Veículos conceituais e futuristas não podem faltar num evento automotivo e, nesse quesito, os caminhões Iveco Glider e MAN Concept S sobraram na turma. Ambos abusam das formas aerodinâmicas, dos leds e das câmaras e parecem ter saído de algum filme de ficção científica. Além do Glider e do “ecologicamente amigável” ECOStralis, a Iveco aproveitou para comemorar seu contrato de fornecimento de veículos para o Ministério da Defesa do Brasil, no valor de cerca de 2,5 bilhões de euros, equivalentes a R$ 5,75 bilhões.

Conceitos são interesantes, mas os motorshows também tem de ter os chamados “modelos de sonhos”, aqueles que já existem no mercado, mas que oferecem muito luxo e tecnologia e só são accessíveis para quem pode pagar muito. Um dos destaques nesse departamento é a série especial Actros Edition White Liner e Black Liner, da Mercedes-Benz – marca que, por sinal, também festejou bastante seu bom desempenho no mercado brasileiro, onde atua desde 1956. Revestimento em couro e apliques em madeira dessa série especial se encarregam de fazer com que o motorista se sinta a bordo de um automóvel de luxo.

Apesar de apreciar conceitos futuristas e modelos requintados, o segmento de veículos comerciais é extremamente racional. Muitas novidades de Hanover se propõem exatamente a atender, da melhor forma possível, as diferentes demandas. Uma delas é o Volvo FMX, uma variação “radical” da linha FM focada no setor de mineração, mas também aplicável aos setores madeireira, canavieiro e de obras de infra-estrutura. Já a nova linha V8 da Scania – com os modelos R500, R560, R620 e R730 – é destinada ao transporte de cargas por vias asfaltadas, com alto padrão de conforto. Ambas as marcas suecas atuam no mercado brasileiro, cresceram expressivamente no último ano e revelam indisfarçada euforia com a evolução nos respectivos “market shares” do Brasil.

As marcas chinesas, tão presentes nos últimos eventos automotivos mundiais, não levaram muita fé no evento alemão, talvez ressabiadas com a crise europeia. A solitária representante foi a CAMC, com seu modelo Dumper. Assim, com a China em presença discreta e com Europa, Estados Unidos e Japão em estado de letargia econômica, a impressão é que nunca se falou tanto português no Salão de Hanover. No tradutor simultâneo da entrevista coletiva da MAN, uma das opções de idioma oferecidos era “Português do Brasil”. Sinal dos tempos.

Destaques do Salão de Hanover 2010

CAMC Dumper

O único representante chinês no evento alemão usa motor de 371 cv a 2.200 rpm e torque máximo de 147 kgfm entre 1.300 e 1.500 giros. O veículo conta com freios com ABS e EBD, ar-condicionado automático, trio elétrico, GPS, chave multifuncional com keyless, entre outros equipamentos.

DAF LF Hybrid

A marca holandesa, que anunciou estar de olho no mercado brasileiro, apresentou em Hanover como modelo de série o LF Hybrid. Segundo a fabricante, ele foi testado por clientes do Reino Unido durante os últimos dois anos. O LF Hybrid usa um sistema paralelo diesel/elétrico, que, segundo a marca, pode reduzir o nível de emissões e o consumo de combustível em até 20%. Pode utilizar apenas a motorização diesel 4,5 litros de 160 cv, apenas a motorização elétrica ou uma combinação das duas. A energia de frenagem é reaproveitada pelas baterias que movimentam o motor elétrico.

Ford Transit Connect Eletric

O motor desse utilitário elétrico da Ford leva de seis a 8 horas para ser carregado em uma tomada de 240 V. O motor de 28 kWh abastecido por uma bateria de íons de lítio permite ao modelo rodar até 128 km e atingir uma velocidade máxima de 120 km/h. O Ford Transit Connect Eletric recebeu o esse ano nos Estados Unidos o prêmio “Truck of the Year”. Segundo a Ford, o Transit Connect elétrico é ideal para proprietários de frotas que têm percursos bem definidos, de distâncias previsível e com uma localização central para a recarga diária.

Iveco Glider

Além de anunciar que o novo Cursor e o novo Vertis serão lançados na América Latina, a Iveco mostrou em Hanover o futurista caminhão conceitual Glider. Segundo a marca, o modelo inspirado numa águia e de formas aerodinâmicas é focado na eficiência energética. O motor diesel sem correias tem todos os seus periféricos controlados por sistemas eletrônicos. Energia elétrica gerada por painéis solares, recuperação da energia de frenagem do tipo Kers e sistema de recuperação de calor do escapamento trazem significativa redução no consumo e nas emissões.

MAN TGX

O top de linha da marca alemã foi anunciado como o primeiro MAN “made in Brazil” e sua produção na fábrica de Resende deve começar ainda esse ano. A chamada Trucknology Generation – que inclui também o modelo TGS, outro que será nacionalizado em 2011 – foi lançada na Europa há 10 anos e já sofreu diversas atualizações. A inovação da linha 2011 foi batizada de EfficientLine e promete expressivas reduções no consumo de combustível.

Mercedes-Benz Actros Edition White Liner

A série especial limitada em 500 unidades do pesado da marca alemã vem com farois com leds e diversos detalhes – como a carenagem dos retrovisores e a grade – em cromado ou preto fosco, de acordo com a cor do modelo – branco White Liner e preto Black Liner. Disponívels nas configurações leito ou com a cabina Megaspace, conta com revestimento em couro marrom nos bancos, painéis das portas, apoio de braço, tapete central e volante. O acabamento interior ainda traz detalhes em madeira fina, na cor preto fosco. Buzina a ar, teto solar, cortinas acionadas eletricamente, controle automático de climatização e caixa térmica também fazem parte da edição limitada.

Mercedes-Benz Citaro FuelCELL Hybrid

A terceira geração dos ônibus movidos por célula de hidrogênio adota o sistema Cítaro BlueTec G Hybrid. O consumo, segundo a montadora alemã, caiu pela metade em relação à geração anterior. Os cilindros de gás comprimido armazenam até 35 kg de hidrogênio e dois motores elétricos no cubo das rodas produzem a força do veículo, que agora tem autonomia de até 250 km com um tanque de hidrogênio. As dez primeiras unidades desse ônibus serão submetidas a teste em 2011 no transporte público da cidade alemã de Hamburgo.

Renault Kangoo Express Z.E.

Após a apresentação dos protótipos do Kangoo Express Z.E., a Renault apresenta em Hanover a versão definitiva, que será comercializada no primeiro semestre de 2011, já com 160 km de autonomia. Esta versão elétrica do Kangoo Express mantém as mesmas características que da versão convencional: o mesmo volume de carga (entre 3 e 3,5 m³), a mesma capacidade de carga (650 kg) e o mesmo conforto. Segundo a Renault, o Kangoo Express Z.E. proporciona uma condução tranquila e suave com um baixo custo de utilização, mas com a satisfação de circular sem emitir poluente algum.

Scania V8 R500 LA4X2 MNA

A tradicional linha V8 da Scania surgiu em 1969. Para o modelo 2011, promete oferecer o que de melhor a marca sueca desenvolveu no setor de transporte rodoviário. Disponível nas versões R500, R560, R620 e R730, a linha investe num estilo imponente, elegante e sóbrio. Aplicações em couro no interior, algumas com a marca “V8”, se encarregam de reforçar o ar “old fashion”. Todos os modelos prometem redução nos níveis de emissões.

Volvo FMX

O novo caminhão pesado da marca sueca com tração 4X6 é destinado ao transporte de cargas na faixa de 32 a 50 toneladas. O modelo tem opção de motores 11 litros de 370 cv, ou com propulsor 13 litros, com potências de 400 cv e 480 vcv. O FMX é considerado pelo Volvo um veículo ideal para atividades de mineração, mas pode ser destinado para outras diferentes aplicações em terrenos difíceis, como atividades canavieiras, madeireiras e obras de infraestrutura.

Fonte: WebMotors




Deixe sua opinião sobre o assunto!