Feira projeta faturamento de R$ 70 milhões




Caminhões modernos e softwares para melhorar a segurança e reduzir o risco de acidentes estão entre os produtos da Logistique-Feira Internacional de Logística, Serviços, Transporte e Comércio Exterior, que iniciou hoje em Chapecó. Os portões ficam abertos das 15 às 22 horas, no Parque de Exposições Tancredo Neves. O ingresso é gratuito.

O presidente da feira, Valmor Zanella, disse que a estimativa é de negócios de R$ 70 milhões. Somente um caminhão da Volvo, o FH 440, custa R$ 400 mil. Ele é equipado até com bafômetro, que impede o motorista de ligar o veículo se estiver embriagado. Há também sensores que indicam quando há ultrapassagem de um veículo ou quando o caminhão está saindo da pista.

A empresa OniXsat, de Londrina, está apresentando softwares que permitem às empresas instalar sensores nos veículos que mandam para uma central informações sobre a velocidade, freadas e outras manobras dos motoristas. De acordo com o diretor de marketing da empresa, Wagner Eloy, isso permite avaliar melhor os condutores e treiná-los, para reduzir o número de acidentes.

Na abertura o presidente da Federação das Empresas de Transporte e Logística de Santa Catarina (Fetrancesc), Pedro Lopes, afirmou que uma das discussões do evento é buscar melhorar a infraestrutura logística do estado. Ele afirmou que a ferrovia para o Oeste é importante mas ela não basta. Disse que é necessário investir na integração entre a rodovia, ferrovia, portos e aeroportos.

Ele cobrou investimentos urgentes na melhoria de rodovias e formas de mobilidade urbana. Ele disse que as atuais rodovias, cheias de curvas, foram projetadas quando os veículos atingiam no máximo 80 quilômetros por hora. Ele afirmou que os carros estão cada vez mais rápido e a velocidade nas estradas cada vez menor. Outro problema a ser resolvido é de acesso dos caminhões nas cidades.

Fonte: Diário do Oeste




Deixe sua opinião sobre o assunto!