Cuide dos pneus no calor




O calor no verão representa um esforço extra para os componentes de um caminhão, e em especial para os pneus

Em um setor tão amplo como o de transporte rodoviário de cargas, cada componente do caminhão é rigorosamente projetado para suportar as adversidades climáticas de cada país. Afinal, os veículos precisam percorrer as mais diversas regiões e oferecer bom desempenho constantemente. O sistema de refrigeração é o melhor exemplo de construções projetadas exclusivamente para suportar as diversas condições ambientas. Os óleos lubrificantes são outros exemplos de itens que, além de serem multifuncionais, são elaborados e aditivados de acordo com o tipo de clima do local onde será utilizado. Já no caso dos pneus, nenhuma fabricante do componente propõe modelos específicos para o verão. No entanto, acontece o inverso com o inverno, todas as fabricantes oferecem modelos específicos para a circulação do veículo na água, no gelo ou na neve.

Os caminhões atuais estão num constante processo de renovação e evolução. Em relação aos modelos das últimas duas décadas, quase todos os conceitos que giram em torno dos veículos comerciais foram alvos de melhorias. E, com isso, os pneus não ficaram de fora deste processo continuo. Uma das novidades mais importantes foi o desaparecimento, no final dos anos setenta, das câmaras de ar.

De fato, os pneus seguem, em linhas gerais, a mesma estrutura construtiva que utilizavam há alguns anos atrás, contudo, o rendimento, a duração e a eficiência também subiram muitos degraus, de forma que a imagem ruim dos caminhões com uma roda “inventada”, como existiu durante muitos anos e hoje não passa de uma raridade. Contudo, as carcaças sofreram múltiplas variações no seu design e os aços utilizados durante a sua elaboração experimentaram notáveis melhorias na elasticidade e capacidade de absorção térmica. A solidez alcançada nos materiais dos pneus permite ainda, que por meio da recauchutagem, o pneu possa ter uma segunda vida útil. Com isso, os novos compostos de borracha e desenhos de bandas de rodagem permitem que os pneumáticos durem mais quilômetros e consiga reduzir o consumo de combustível e do próprio componente.

No verão, dois pontos são os principais responsáveis pela durabilidade dos pneus. São eles: a pressão de ar e a quantidade de borracha na banda de rodagem. Os pneus atuais foram desenhados para suportar com eficiência as diversas temperaturas, ainda que, no caso do verão, seja previsto considerar que as variações térmicas são elevadas. Entretanto, se os pneus que são mantidos sempre com a pressão correta e sem carga a mais podem resistir ao desafio de circular com altas temperaturas do ambiente e também do asfalto sem muitos problemas. Uma dica dada pelos transportadores – e que vale ouro – é nunca usar pneus novos durante as épocas quentes do ano. Com o material menos desgastado, calcula-se que o aumento de custos em geral seja entre 5% e 15%, levando sempre em consideração o tipo de caminhão e a rota que ele percorre. Isso ocorre porque o pneu que possui mais material, consecutivamente, retém mais calor e desgasta mais rápido. Por isso, é indicado que durante o verão sejam usados pneus de média utilização.

Conselhos para o verão:

1. Confira semanalmente a pressão dos pneus

2. Não utilize pneus novos em situações que ofereçam altas temperaturas aos pneus

3. Se possível, utilize pneus com médio uso

4. Preste atenção à válvula de enchimento de ar, para identificar possíveis vazamentos

5. Não sobrecarregue o veículo

6. Distribua igualmente o peso da carga para todos os eixos do caminhão

7. Diminua a velocidade máxima do veículo em situações de altas temperaturas. Isso ainda economiza combustível

8. Evite, a todo o custo, circular em terrenos off-road ou com asfalto em más condições

9. Evite frear bruscamente o veículo e patinar as rodas

10. Assim que passa as situações de altas temperaturas utilize pneus novos

Cuidado com a pressão:

Na época mais quente do ano, o maior vilão dos pneus é a pressão de ar inadequada. Mais que a temperatura externa, do asfalto, ou mesmo que as condições de trabalho, a pressão incorreta pode levar à destruição completa dos pneus. Por isso, é fundamental estar atendo à pressão e calibrá-los sempre a frio, pois em condições de trabalho, sua temperatura aumenta e acontece a dilatação do componente, o que pode provocar uma leitura incorreta da pressão a ser aplicada ao pneu. Outros aspectos importantes que também envolvem calibração correta, são: a vida útil e o consumo de combustível.

Fonte: Transporte Mundial




Deixe sua opinião sobre o assunto!