730x100---Principal---BlogCaminhoneiro

Procura-se caminhoneiros para trabalhar

O caminhão de carga moderno é um investimento na casa dos milhões de reais, com alta tecnologia, monitoramento via satélite, em tempo real, e metas calculadas por engenheiros de produção e especialistas em logística. Tal investimento exige um profissional à altura, com conhecimento não apenas das regras de trânsito, mas das inúmeras ferramentas inseridas no veículo.

Responsáveis pelo transporte de 65% de toda a riqueza gerada no País, as empresas de carga rodoviária não conseguem encontrar motoristas qualificados para conduzir os caminhões delas. Em Maringá, a carência atual é de pelo menos 800 profissionais, segundo estimativa do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas de Maringá (Setcamar).

No Brasil, existe a necessidade urgente de contratação de 150 mil motoristas de caminhão de carga.
O Setcamar representa 1,8 mil empresas instaladas na região metropolitana de Maringá, o segundo polo de transporte rodoviário cargueiro do Paraná, com frota de 250 mil veículos. Para o superintendente do sindicato, Geasi Oliveira de Souza, a falta de qualificação é o gargalo do setor.

“Hoje é mais fácil comprar um caminhão do que encontrar um caminhoneiro qualificado”, afirma. Ele explica que o transporte rodoviário passou muito tempo seguindo um modelo arcaico, que exigia pouco conhecimento do condutor.

Nos últimos oito anos, no entanto, o setor deu um salto tecnológico e a competitividade crescente fez com que as empresas exigissem o cumprimento de uma série de metas do motorista. “O motorista do passado não sabe ler um painel, não conhece a legislação de trânsito e não sabe como conduzir o veículo de maneira econômica”, resume Souza.

O diretor de frota da Transportadora Tamoyo, Wilson Mendes dos Santos, declara que a falta de profissionais prejudicou a empresa durante o ano. “Cheguei a ficar seis meses com um veículo parado, porque não encontrava profissional”, diz o executivo, que finalmente conseguiu completar o quadro funcional. Ele acredita que a mentalidade do motorista é um dos principais obstáculos para a contratação.

“A primeira coisa que a pessoa pergunta é quantos dias terá que ficar fora de casa”, comenta. Ele ressalta que a existência de muitas empresas no setor favorece os motoristas sem comprometimento.

“Ele passa quatro meses em uma empresa, pede as contas e procura por outra, que tem necessidade de mão de obra e acaba o contratando”, avalia. Sem confiança na qualidade do profissional, muitas empresas se recusam a entregar um capital de alto valor nas mãos de motoristas sem vínculos sólidos com a companhia.

Alto custo

Presidente da Transcocamar e do Setcamar, Afonso Shiozaki avalia que a formação profissional especializada é cara e não tem subsídio governamental. As transportadoras recolhem contribuição para o Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Senat), mas a entidade carece de estrutura suficiente para oferecer treinamento para o motorista de carga. “Eles têm que recorrer a auto-escolas particulares, onde o curso completo custa entre R$ 2 mil e R$ 2,5 mil”, alega. Em auto-escolas especializadas, que não são numerosas em Maringá, o motorista precisa cumprir determinado número de horas práticas na condução de caminhões leves, médios e grandes, simulando o transporte de cargas. “Precisamos de uma ajuda governamental, pois o curso é caro para o motorista”, avalia.

A Transcocamar tem uma frota de 400 veículos e sofre com a falta de motoristas nos picos de safra. A empresa transporta cargas nos Estados do Paraná, São Paulo, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Goiás.

Com o salário-base da categoria e comissões, o motorista pode ganhar cerca de R$ 3 mil mensais. As empresas de transporte de carga de Maringá contrataram 2.726 motoristas de caminhão para rotas regionais e internacionais, entre janeiro e outubro de 2010. Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego, mostram que o número de demitidos também foi alto: 2.198 pessoas.

Fonte: O Diário


coments

Comentários

  1. Troquei minha cnh pela cat E e so agora vejo a dificuldade para entrar no mercado de trabalho,todas as empresas de transporte exigem experiencia “com razao”,mas como adguirir?nao ha como se nao trabalhando,pois os orgaos que existem p esses fins nao funcionam,o sest senat de fortaleza recebeu uma carreta nova ano passado e ete agora nao fez nada com ela,curso mopp nem pensar,e uma demora terrivel,perde ate para a saude,e ai que faço?alguem pode me ajudar?as empresas bem que poderiam oferecer estagios?

  2. Eu me chamo Robson tenho 36 anos cnh AE e estou todo dia vendo que as empresas estao presisando de motorista carreteiro ja espalhei curriculo por ai tudo, mas todas pedem experiencia eu so quero uma oportunidade nao quero faser igual a muintos que adutera a carteira de trabalho e sai por ai matando gente,so quero uma oportunidade para mostra que sou capas , moro em ilheus BA e nao tenho dificuldade de viajar e-mail ros312010@hotmail.com (73)91027978 vou espera resposta ou sera que essas empresas que fala que esta precisando de motorista so que aparecer na tv e mostra sua frota para a concorrente.

  3. Boa noite Meu nome he Edenilton sou de Natal moro no Rio de Janeiro sou motorista de caminhao ha 5anos tou trocando de D para E quero trabalhar com viagem rio dejaneiro natal mesmo sem experiencia no trageto

    1. sou de natal moro no rio de janeiro sou motorista de caminhao ha ha 5 anos meu nome he Edenylton cesar quero trabalhar como cominhoneiro mesmo sem conhecer o trajeto e de preferencia fazer rio de janeiro natal estou trocando de cnh D para E meu tel 21 97369 4208-21 988271562 2137831708 Mesquita Rj

      1. meu nome e paulo roberto tenho 51 anos moro em tres coraçoes minas gerais carteira de habilitaçao b telefone 035 91919213, sonho em ser um carreteiro mais nao tenho condiçoes de trocar minha carteira pois estou desempregado, nao tenho esposa e nem filhos e estou disponivel para trabalhar viajando para qualquer lugar do pais , pessoas que queiram me ajudar , favor entrar em contato. muito obrigado ass: paulo roberto patricio

  4. Boa noite tenho cnh D quero ser motorista por favor qual e o e-mail dessas empresas estou disponível por favor me ajudem obrigado

  5. boa noite, so novato no ramo de transporte , troquei minha habilitação para categoria E, esto em busca de uma oportunidade em carreta , tenho força de vontade e fácil aprendizagem , tenho 32 anos moro em ibirite cidade metropolitana de belo horizonte , caso alguma empresa , possa m ajudar ! grato . estes são meu contato , 03197600619 ou 03185158527.

  6. É o que esta faltando é oportunidade,tenho CNH E,curso MOOP,Mecânica de motor DIESEL,Condutores de transporte publico de passageiros más não tenho experiência,gostaria muito de uma oportunidade(31)96760057.

    1. eu acho que esses empresários querem fazer propaganda que compraram caminhão novo para os cliente ver porgue pedem tanto curso para os novatos o maior curso els vao fazer quando ele começar atrabalhar para voçes pagar o caminhões que voçes compraram abandonar esposa filhos tudo em nome de uma iluçao e no fim não vao ter nada vaoi acabar igual eu dor no rin coluna bocite nobraço do vento da janela so não estou na pior porgue em 1980 acordei para vida e entrei na codesp e la me aposentei mas muintos amigos meu continuou em transp. hoje estão com salario lixo e morando e favela foi o preço que eles pagou de pagar caminhão zero para as transportadoras eu figuei 18 na codesp como motorista carreteiro com ótimo salario e todos os direitos foi a minha sorte foi duro largar a estrada mas no fim valeu quando me aposentei comprei uma142 v8 Scania trabalhei uns cinco anos mas quando as tranp. já começaram a tirar vantagem vendi e sai fora

      1. essas empresas compram carretas para ficar ricas nas costas dos funcionarios que passão ate fome nas estradas para cumprir horarios para não serem demitidos isto e uma vergonha pro nosso pais tão rico

  7. Bom dia.sou de recife pernambuco.tenho CNH AE curso mopp.fazedo u curso di operdor de caminhão muck desponibilidade pra viajar.telefone 83 9327 3085 claro
    083 8164 4378 vivo