Iveco anuncia produção nacional de veículos militares




O complexo industrial da Iveco em Sete Lagoas (MG) abrigará, também, a nova divisão nomeada Iveco Veículos de Defesa. A montadora, dedicada à produção de veículos militares, receberá investimentos da ordem de R$ 75 milhões.

A nova unidade fabril ocupará uma área de 18 mil m2 e já tem a sua primeira fornada dedicada ao Exército Brasileiro. Trata-se do projeto do VBTP-MR, apelidado de “Guarani”, um veículo blindado anfíbio em desenvolvimento pela IVD com o Exército Brasileiro. Ao todo, foram encomendadas 2.044 unidades do Guarani, sendo que o primeiro lote será entregue no segundo semestre de 2012 e os demais veículos serão entregues até 2014.

O protótipo do modelo será exibido na Latin America Air & Defence (LAAD), a maior feira militar da América Latina a partir de 12 de abril no Rio de Janeiro. Em seguida, a unidade seguirá para o campo de provas do Exército Brasileiro em Marambaia (RJ), para um período de testes. Paralelamente, a IVD fornecerá um lote piloto de 16 veículos previstos no período de desenvolvimento.

A fábrica da IVD é a primeira da Iveco fora do território italiano e empregará até 350 trabalhadores. “Com a Iveco Veículos de Defesa poderemos não só melhor atender ao nosso parceiro e cliente, o Exército Brasileiro, como também desenvolver novos produtos para o segmento militar, seja para o Brasil, seja para a exportação”, afirma Marco Mazzu, presidente da Iveco Latin America.

Vbtp Guarani

Todo o projeto demandará investimentos da ordem de R$ 120 milhões, incluindo a fábrica. A FPT Powertrain empregará mais R$ 35 milhões no projeto para a produção do motor diesel de 9 litros a ser utilizado no projeto VBTP (e por outros modelos Iveco).

O Guarani é um veículo blindado anfíbio de 18 toneladas e tração 6×6, com 6,91 metros de comprimento, 2,7 metros de largura e 2,34 metros de altura e capacidade para transportar 11 militares. A IVD informa que, normalmente, os modelos deste porte utilizam carroçaria monobloco, porém, o Guarani recebe chassi em longarinas de aço, deixando o veículo ficou mais alto em relação ao solo.

De acordo com o Exército Brasileiro, o VBTP apresenta diversas melhorias em relação aos veículos atuais, tais como: proteção blindada superior, maior mobilidade, maior capacidade de transposição de trincheiras, maior capacidade de degrau vertical, maior vão livre, suspensão independente hidropneumática, sistema de freio com disco duplo e ABS. Internamento, o Guarani recebe ar condicionado, GPS, sistema automático de detecção e extinção de incêndio, capacidade de operação noturna de série, sistema de detecção de laser.

O veículo pode ser equipado com torre de canhão automático ou de metralhadora, operada por controle remoto. Quando necessário, o Exército poderá transportar o Guarani por um avião tipo Hercules C-130.

Segundo a IVD, a plataforma empregada no VBTP Guarani poderá ser estendida a uma família de blindados médios de rodas que poderá ter mais dez versões diferentes, incluindo veículos de reconhecimento, carro de combate, socorro, posto de comando, comunicações, morteiro leve, morteiro pesado, central diretora de tiro, oficina e ambulância. Mais de 60% dos componentes empregados na fabricação do Guarani será formada por itens nacionais.

Fonte: Transpoonline




Deixe sua opinião sobre o assunto!