Cosan começa testes com caminhão bi-fuel




Um caminhão bi-fuel, o primeiro da categoria, começa a ser testado pela Usina da Barra, unidade agroindustrial da Cosan Açúcar e Álcool, localizada em Barra Bonita (SP). O motor, desenvolvido pela Iveco Caminhões, foi instalado em um modelo Trakker, já costumeiramente utilizado por empresas do setor sucroenergético e pode utilizar os combustíveis diesel e etanol.

A novidade foi apresentada nesta quinta-feira (05/5) durante a 18ª Agrishow, em Ribeirão Preto (SP) pelo diretor de desenvolvimento de produtos da Iveco, Renato Matrobutto. “Desenvolver este projeto foi especialmente desafiador. Iniciamos o projeto no ano passado para atender um pedido da União da Indústria da Cana-de-açúcar, a Unica, que nos convenceu diante dos números de crescimento de demanda do setor”, explicou Mastrobutto.
O caminhão ficará em testes durante toda a safra 2011/2012 de cana-de-açúcar e deverá encerrar a experiência com 60 mil quilômetros rodados.Segundo o diretor, o diferencial do veículo está no sistema de injeção independente.

O motor pode ser alimentado por sistemas injetores separados para o diesel e o etanol. “Existe um sistema de injeção para o diesel e outro para o etanol Com isso, conseguimos reduzir substancialmente o consumo de diesel, cortando os custos ao produtor, com eficiência da combustão”, diz.

O motor é 100% reversível, o que não obriga o condutor a usar os dois combustíveis paralelamente. “Se for mais econômico, de acordo com a necessidade do trabalho, o veículo pode usar apenas o etanol ou apenas o diesel”. Os testes da Iveco indicaram uma economia com o diesel chega a 40% e o ganho econômico é de 6% ao operador.

O protótipo do bi-combustível é cavalo mecânico com tração 6×4 para o transporte de 63 toneladas de peso bruto total que pode ser utilizado em várias aplicações do setor sucroenergético, como transporte de vinhaça.

Rodrigo Pacheco, diretor de Projetos da Raízen (leia-se Cosan, Esso e Shell) disse que a Raízen tem sido procurada por várias empresas do setor de máquinas para participar de projetos semelhantes. “A demanda está crescendo significativamente e há vários projetos sendo desenvolvidos, mas este caminhão será o primeiro a iniciar a fase de testes.

No entanto, não vamos medir esforços para colaborar com o desenvolvimento de novos produtos e novas tecnologias que possam agregar valor ao etanol e que promovam melhorias ao meio ambiente”, afirmou Pacheco.

Segundo ele, incialmente o veículo fará testes somente na Usina da Barra. “Vamos rodar com este veículo até o final da safra atual. Paralelamente, o caminhão trabalhará junto com veículos convencionais para podemos comparar os resultados”.

Fonte: Rural Pecuária




Deixe sua opinião sobre o assunto!