Novo Cargo já está na ativa




A nova de linha Cargo, lançada na segunda quinzena de março, já está na rede de distribuidores de caminhões Ford, formada atualmente por 124 unidades no Brasil, e chegando às ruas e estradas. São 11 modelos médios, semipesados e pesados, dos quais cinco têm opção para cabine leito e apesar de ser resultado de um projeto global da montadora, liderada pela Ford da América do Sul, será produzida inicialmente no Brasil. De certo modo, os novos modelos surpreenderam quem esperava uma cabine idêntica ou derivada da que é produzida na Turquia pela Ford local.

A linha apresentada atende o segmento de transporte de 13 a 31 toneladas de PBT, formada pelos modelos Cargo 1317, 1517, 1717, 2622, 2628 e Cargo 3132 com cabine simples, 1722, 2422, 2428, Cargo 1932R e 1932 simples ou leito. As novas cabines resultam de um projeto global da montadora, mas chegarão primeiro ao mercado brasileiro. De modo geral, a nova linha Ford Cargo tem índice de nacionalização superior a 95%, pois as mudanças abrangeram praticamente a nova cabine, a qual não atende ainda a linha leve, que continua com o modelo antigo aguardando a renovação que poderá ser um próximo passo da Ford ainda este ano.

Todas as versões são equipadas com motores Cummins de 170 a 320cv de potência e caixas de transmissão Eaton. Os modelos médios de 13 a 17 toneladas, que representam 15% das vendas de caminhões no Brasil, utilizam a caixa FS de seis marchas, enquanto os trucados 6X2, de 24 toneladas de PBT, que representam 22% da indústria (sendo 15% cabine leito) recebem o modelo FTS com oito velocidades mais duas reduzidas. Estes modelos têm opções de entreeixo de 4.800 e 5.307mm.

Os modelos traçados (de 26 a 31 toneladas de PBT) apresentam diferenciais na parte frontal e são equipados com transmissão FTS, oferecem distâncias entre eixos de 4.120mm e 4.160mm e são representados pelos modelos 2622, 2628 e 3132. O cavalo mecânico 1932 usa a caixa FTS com 12 marchas mais uma totalmente sincronizada. Todas as transmissões têm sistema de acionamento por cabos.

De acordo com Oswaldo Jardim, diretor de operações da Ford América do Sul, os preços dos novos modelos Cargo são exatamente iguais aos respectivos produtos da linha Constellation, da marca Volkswagen. “É o nosso posicionamento”, taxou. Ele acrescenta que o custo de manutenção caiu em relação à linha antiga, e que a empresa vai oferecer contrato de manutenção e telemetria da Autotrac. Outra informação se refere ao preço da nova cabine, sendo R$ 18 mil a simples e R$ 24 mil a leito. Ele finaliza dizendo que a rede conta com 120 unidades para teste drive.

A Ford Caminhões se posiciona hoje como o 13º produtor de caminhões mundial e investiu 300 milhões de dólares em 2007 e outros 370 milhões em 2009 sendo a maior parte em desenvolvimento de novos produtos, como o novo Cargo. A linha de produção, na fábrica de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, também passou por modificações e atualmente produz um caminhão a cada 1 minuto e 52 segundos.

Fonte: Revista O Carreteiro

Inscreva-se




Deixe sua opinião sobre o assunto!