Caminhões com blindagem viram ótimo negócio




Cerca de 400 carros-fortes fabricados por ano e 150 caminhões blindados só neste primeiro semestre de 2011. Estes são alguns números que mostram o bom momento do mercado em que atua há pelo menos duas décadas a Auto Life Blindagens, empresa instalada no Jardim Promeca, em Várzea Paulista, desde 2009.

A empresa funcionou durante muitos anos em Cajamar, mas mudou para Várzea pela facilidade principalmente de contratação de mão de obra.

“Jundiaí é uma das melhores cidades de São Paulo e está puxando o desenvolvimento da região”, afirma Marcio Vita, um dos três sócios-diretores, contando que atualmente são 150 funcionários.

A história da Auto Life é de empreendedorismo. Tudo começou com uma oficina mecânica, a blindagem foi consequência, impulsionada pela demanda de mercado e, em 2000, foram dados os primeiros passos como indústria de veículos especializados para o transporte de valores. Segundo Marcio, 90% da produção anual é exportada para países da América do Sul e África.

O processo produtivo é completo, da serralheria à pintura e acabamento.

No segmento de blindagem, os números também são positivos, embora influenciados pelos índices crescentes da violência em todas as regiões do país, inclusive na de Jundiaí, que se transformou em um dos principais corredores de roubo de cargas.

“Neste primeiro semestre o que aumentou muito foi a blindagem de caminhões. Fazemos tanto da cabine quanto do baú”, salienta.

Segundo ele, no segundo semestre de 2010 foram blindados 80 caminhões. Já no primeiro semestre deste ano o número quase dobrou, subiu para 150.

Nas cabines de caminhões, são blindados do vidro ao piso e, em baús, ocorre a instalação de um tipo de grade, que é revestida por aço e, para o acabamento, há a instalação, inclusive, de portas de aço para que as mercadorias não fiquem expostas no momento da descarga. “É tipo uma porta de cofre que garante ainda mais segurança”, afirma.

Estratégia

A Foton é um investimento do mesmo grupo de empresários que está à frente da Auto Life Blindagens. “Queríamos expandir nossa atuação e soubemos que a Foton tinha interesse no mercado brasileiro. Assim começaram as negociações”, explica Márcio Vita. Foram dois anos e meio de estudos sobre a viabilidade da parceria.

Quarenta

É o número de empregos que será gerado, num primeiro momento, quando a Foton começar as operações em Várzea. Hoje, a distribuidora do grupo na região conta com 20 funcionários.

Foton investe R$ 10 milhões para atuar na região de Jundiaí

Entre instalação e compra de peças para montar um estoque inicial, os empresários que trazem para Várzea Paulista um centro de distribuição da líder de vendas de caminhões de pequeno porte na China, a Foton, já investiram R$ 10 milhões no negócio. E, de acordo com o planejamento estratégico, o montante deve chegar aos R$ 40 milhões no primeiro ano de funcionamento.

Os valores são altos, mas devem ser recuperados rapidamente segundo o atual cenário do mercado neste segmento. “Vamos trabalhar com caminhões de 3 a 9 toneladas. Essa é uma fatia do mercado que está com uma demanda muito boa”, diz Márcio Vita, também sócio diretor da empresa no Brasil. Segundo ele, o prazo para a entrega de um caminhão novo deste porte no país gira em torno de 120 dias. “Não pretendemos ser líderes de mercado porque o Brasil conta com empresas tradicionais, há mais de 70 anos em atuação. Mas vamos suprir a demanda que existe com um produto que tem qualidade para ter boa aceitação”, ressalta.

Pelo menos 80 pontos de venda da Foton devem ser inaugurados em diversas regiões brasileiras nos próximos cinco anos. O primeiro será na capital paulista e a previsão é que esteja em funcionamento na última semana de outubro, após o lançamento oficial da entrada da montadora chinesa no Brasil, que irá ocorrer durante a Fenatran (Salão Internacional do Transporte) na capital paulista de 24 a 28 de outubro.

“Os pontos estratégicos serão definidos a partir do momento que começarem as vendas, pois só aí conseguiremos analisar em quais regiões do país a aceitação será melhor”, explica Márcio. Um desafio, segundo ele, é o fato de os caminhões da Foton exigirem um diesel mais puro do que o comercializado atualmente no país. “A promessa do governo é que esse diesel chegue em janeiro de 2012”, explica o empresário. Os motores dos caminhões chineses são modelo Euro 4 e Euro 5.

Fonte: Rede BOM DIA

Inscreva-se




Deixe sua opinião sobre o assunto!