Iveco anuncia motores Euro 6 para ônibus




Os ônibus da Iveco irão ser equipados com motores Tector e Cursor que cumprem a norma Euro 6. Desenvolvidos pela FPT Industrial, os propulsores usam apenas à tecnologia SCR (seleção catalítica seletiva), utilizando uma solução que otimiza os sistemas de combustão e de pós-tratamento de gases de escape daqueles motores, contando com uma muito eficaz tecnologia de controle, patenteada pela FPT Industrial. O fabricante italiano reivindica que esta tecnologia permite manter liderança ao nível do consumo e em crescendo no que se refere à proteção do meio ambiente, já que se atingem registos de conversão de gases de NOx superiores a 95%, contra os 80 a 85% dos melhores valores da concorrência.

A Iveco refere que a um papel chave na otimização da eficácia do processo de combustão tem a elevada pressão na câmara de combustão e a alta pressão dos injetores. Para atingir este objetivo, houve que implementar importantes alterações no cárter e no desenho da cabeça dos cilindros, aumentando a rigidez, a capacidade de refrigeração e a cilindrada.

Os novos motores Tector e Cursor, disponíveis em níveis de potência dos 160 aos 560 cv, estão equipados com a mais recente geração do sistema ‘common rail’, que permite aumentar a capacidade máxima de pressão de injeção até aos 2200 bar.

Adicionalmente, integra uma nova centralina para a gestão dos parâmetros do motor e do sistema de pós-tratamento. A nova unidade de controle foi projetada num formato compacto e para integrar todas as funções do catalisador SCR e do filtro de partículas DPF do motor. Nas versões Cursor que integram um turbo de geometria variável foi introduzido um controlo eletrónico para otimizar a resposta a baixa rotação e para melhorar a eficácia do freio motor. Para além disso, todos os propulsores passam a utilizar uma válvula de controle de gases de escape, como forma de apoiar a regeneração passiva do DPF e para melhorar o desempenho do freio motor até 30% em comparação dos atuais motores sob a norma Euro 5.

A opção tomada pela Iveco e pela FPT Industrial prevê a minimização das partículas produzidas na câmara de combustão, independentemente do aumento das emissões de NOX resultantes da elevada eficiência de combustão, sucessivamente reduzida graças à tecnologia “SCR Only” aplicada no sistema de gases. As pequenas quantidades de PM são reduzidas ao nível necessário através do uso de um DPF completamente passivo. Em condições normais de operação não é necessária uma regeneração forçada do filtro de partículas.

Foi projetado um sistema SCR da nova geração, baseado num catalisador com zeolite. Graças à integração de todos os componentes, o sistema é extremamente compacto e permite maximizar o espaço e minimizar o impacto do peso. Uma única unidade contém o catalizador DOC (Diesel Oxidation Catalyst), DPF (Diesel Particulate Filter), SCR (Selective Catalyst Reduction), CUC (Clean Up Catalyst), instalado de forma muito compacta, de modo a alcançar uma elevada eficácia de conversão de todos os poluentes. Dentro do mesmo recipiente integram-se, também, os dispositivos de injeção/mistura do AdBlue e os sensores de gases de escape, necessários para a gestão de pós-tratamento. Todo o sistema de pós-tratamento está contido numa estrutura de design compacto, que facilita a montagem no veículo.

Mais especificamente, o nível de emissões Euro VI foi obtido por meio de importantes soluções de engenharia, em conjunto com um design inovador e integrando testes de precisão. O resultado traduz-se na perfeita integração dos sistemas DOC, DPF, SCR e CUC, garantindo o mais alto nível de conversão. Um projeto preciso e o posicionamento dos substratos internos facilitam a instalação do catalisador num pequeno volume, incluindo a injeção de AdBlue de alta turbolência. Graças à cuidada colocação dos sensores de gases de escape, é possível obter um rápido e preciso controlo de todos os substratos catalísticos das reações químicas que ocorrem dentro deles.

Fonte: Transporte em Revista

Inscreva-se




Deixe sua opinião sobre o assunto!