No Dia do Motorista, profissionais cobram mais segurança




O Dia do Motorista, comemorado neste 25 de julho, serve de plataforma para que aqueles que estão atrás dos volantes cobrem mais atenção do Poder Público, principalmente em relação à segurança.

“Nossa profissão continua sendo uma das mais incertas; você sai de casa sem a certeza de voltar”, diz o motorista Lídio Marcolim, de 67 anos, morador de Caxias do Sul. Caminhoneiro há 43 anos, Lídio avalia que a profissão está “abandonada”. “Não temos nenhum privilégio e nenhum cuidado é oferecido a nós caminhoneiros.”

Faltam políticas voltadas aos motoristas, segundo ele. “Além de facilitar a compra de caminhões abaixando os juros, não lembro de nenhuma outra facilidade. Muitos caminhões hoje em dia acarretam mais problemas, porque as estradas estão cada vez mais cheias e com menos estrutura.”

A Federação dos Caminhoneiros Autônomos do Rio Grande do Sul reúne 180 mil profissionais que exercem a profissão de maneira autônoma. “O dia 25 serve para pedirmos proteção a São Cristovão, que é quem cuida por nós”, destaca o presidente da entidade, Eder Del Lago.

Ele diz que todo dia 25 é feita uma festa e uma procissão para pedir proteção aos caminhoneiros. “Aqui em Caxias temos uma igreja em formato de caminhão, tamanha a paixão. Nossos dias são ásperos e solitários, então fazemos questão de comemorar o dia que nos é dedicado.”

Fonte: Site Novo Hamburgo

Inscreva-se




Deixe sua opinião sobre o assunto!