Linha 2012 de caminhões Scania será equipada com novas versões do Opticruise e Retarder




Tão importante quanto conseguir mais potência no motor é, também, fazer com que o veículo faça o melhor aproveitamento desta força (com a utilização de uma eficiente caixa de câmbio) e, sobretudo, que o caminhão possa diminuir a velocidade, e até mesmo, parar na hora certa.

Em sua nova linha, cujos caminhões serão comercializados já a partir do primeiro dia do ano que vem (e estarão todos expostos na Fenatran), a Scania apresenta também a terceira geração de sua caixa automatizada Opticruise, além de seu sistema auxiliar de freio, também novo, Retarder, que ganha maior potência de frenagem.

“A Scania é pioneira na implementação de caixa automatizada em caminhões no Brasil e, nesta Fenatran, apresenta ao mercado uma nova geração, com um software ainda mais inteligente, e uma versão mais potente do freio auxiliar, o Scania Retarder, somando este diferencial competitivo para os produtos da marca”, afirma Celso Mendonça, gerente de Pré-Vendas da Scania no Brasil.

A terceira geração da caixa de câmbio automatizada da Scania, que tem como objetivo principal facilitar a troca de marchas e corrigir possíveis “barbeiragens” na condução, chega ao mercado brasileiro em uma versão com um software ainda mais inteligente e um reduzido número de componentes.

Uma das principais características da nova caixa automatizada da marca é a inteligência do sistema, que é capaz de entender melhor o comportamento e a forma de dirigir do motorista, conseguindo antever algumas situações de risco e corrigi-las independentemente da velocidade e condições topográficas em que o veículo se encontra.

“Por suas vantagens operacionais, a caixa de mudança Opticruise foi considerada a melhor da Europa pelas revistas especializadas de lá”, afirma Mendonça. O sistema é baseado em uma caixa de câmbio padrão completamente manual, o que facilita a manutenção e a reposição de peças, e será oferecido em uma versão totalmente automatizada, com ou sem pedal de embreagem, dependendo da operação em que o veículo será utilizado.

De acordo com Mendonça, para o segmento Off Road, por exemplo, é recomendada a utilização do sistema com pedal de embreagem. “Nestas aplicações mais severas, o pedal de embreagem facilita a vida do condutor, que é obrigado a fazer muitas manobras”, explica.

A nova caixa automatizada da Scania possui todos os controles integrados na alavanca à direita do volante, que também controla o freio auxiliar Retarder. Pela função de kick-down, o motorista pode forçar a redução de marchas, caso seja necessário, e o modo de potência permite rotações mais altas, por exemplo, durante subidas.

Entre os recursos específicos, estão o modo de manobra e o modo de desatolamento automático, que percebe quando as rodas motrizes estão perdendo a aderência e permite ao veículo balançar rapidamente de um lado para o outro para sair de um buraco.

Opticruise

O Scania Opticruise também oferece modo de condução especial adaptado para terrenos acidentados, que complementa o modo normal e o modo de potência.

O modo normal é otimizado para maximizar a economia de combustível, entregando bom desempenho em aclives. O sistema ajusta o giro do motor na faixa de torque máximo quando necessário.

O modo de potência é destinado para viagens nas quais o tempo de percurso é essencial. O desempenho em aclives é adaptado para ajustar o giro do motor na faixa de potência máxima. Há algum sacrifício de combustível, mas a subida de aclives é mais rápida e com mudanças de marchas ligeiramente mais rápidas que no modo normal.

No modo fora de estrada o número de mudanças de marchas é minimizado, permitindo que o giro do motor varie ao longo de uma faixa de rotação mais ampla. As mudanças de marchas são mais rápidas e a marcha de partida é sempre mais baixa que necessária.

Veja abaixo como estão localizados os comandos na alavanca:Fonte: Brasil Caminhoneiro

Inscreva-se




Deixe sua opinião sobre o assunto!