Farol-DRL-DNI 2035-GIF-DKW-Store

banner-superior-caminhoneiro


MB apresenta linha 2012 com novos modelos bicudos Atron

A Mercedes-Benz está apresentando hoje (20) em sua unidade de Campinas a nova linha de caminhões, ônibus e comerciais leves para 2012 equipados com motorização Euro 5 para atender as novas normas de emissões que passam a vigorar a partir de janeiro de 2012. Além de mais potentes, os novos motores são 6% mais econômicos e devem gerar um aumento de preços que vai variar de 6% nos modelos mais pesados a 10%, no caso dos modelos mais leves.

A empresa garantiu a manutenção dos planos de investimentos de R$ 450 milhões para a nova fábrica de Juiz de Fora que começa a produzir em janeiro os modelos Actros, top de linha da marca, apesar do recente pacote econômico que elevou em 30% a alíquota do IPI para veículos importados. O aumento já está vigorando para os Actros que ainda são importados: “Não tivemos saída”, lamenta o vice presidente Joachim Mayer. Mas não valerá para os caminhões fabricados em Juiz de Fora.

A nova norma exige índice de nacionalização de pelo menos 65% para escapar do novo IPI. Entretanto, o percentual não se refere ao produto especificamente mas à indústria como um todo que, instalada no Brasil há muitos anos, supera com folga este percentual.

banner-blogdocaminhoneiro

Os planos de nacionalização da nova linha Actros para Juiz de Fora são de um índice de 25 a 30% de uso de componentes nacionais para 2012; 40% para 2013 e 60% para 2014, aí já com possibilidade de financiamento pelo Finame do BNDES.

Nova linha

Os destaques dos novos modelos, além da motorização Euro 5, são a linha Sprinter que, fabricada na Argentina, ganhou novo desenho com o capô integrado à nova grade. Outra novidade é a linha Atrom que mantém as cabines bicudas, baseada no sucesso de vendas de modelos consagrados como o 1620 que ainda alcança volumes médios anuais de 6 mil unidades. O sucessor do modelo campeão de vendas e carro-chefe da nova linha, é o semipesado Atron 2324 6×2. A família também inclui o caminhão médio 1319 4×2 e os pesados 2729 6×4 e cavalo-mecânico 1635 4×2.

O novo Atego está 400 kg mais leve com novo desenho externo que procurou evidenciar robustez. Outro modelo consagrado da marca, o Mercedinho 710, dá lugar ao novo Acelo 815 com uma tonelada a mais de capacidade de carga e nova cabine. O modelo Acelo 1016, com terceiro eixo, pode chegar a 13 toneladas de PBT e ser equipado com carroceria de oito metros.

A linha Axor ganha novos entreeixos e caixa Power Shift automatizada – que dispensa o uso da embreagem – de série.
No caso do Actros que passará a ser produzido na planta de Juiz de Fora (MG), o empenho da engenharia é no processo de nacionalização do produto. Cinquenta técnicos brasileiros estão retornando da Europa onde foram treinados para repassar aos colegas brasileiros os detalhes de produção do modelo originalmente alemão.


Fonte: Revista Carga Pesada




coments

Comentários

  1. Adair eu tenho 2 1635 muito bom os caminhões so falta vim de serei o ar condicionado olha isso ai Mercedes.

  2. eu tenho um fh 12 tambem ja possoi 1620 e maravilhoso temos que ter respeito por aquela estrela que a mercedes tem .um abraço a todos.

  3. meu sonho era um mbenz 1634 agora e o mb 1635, esta marca tem a estrela, nao tem pra ninguem, de todos os caminhoes que trabalhei, o melhor foi a marca mercedes, parabens mercedes

  4. A nova linha da Mercedes-Benz ficou muito bom o que mais me superou foi a 1635 vei com gabine estendida, sem ti falar a frente ficou muito linda, ta de parabéns pelos novos laçamento que a Mercedes-Benz.