O ‘milagre’ da transformação




A intenção era poupar o pavimento e trazer mais segurança ao trânsito. Mas os efeitos práticos da Resolução 326 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), baixada dia 17 de julho de 2009, têm sido bem diferentes.

Com a resolução, desde janeiro deste ano, cavalo novo, para puxar bitrem de sete eixos, tem que ter tração 6×4 – o chamado “traçado”. Assim, o Contran quer, aos poucos, ir substituindo a imensa frota atual de cavalos 6×2 usada nos bitrens. Esses cavalos são acusados, principalmente, de sobrecarregar o asfalto, abrindo aquelas “valas” muito comuns de serem vistas nas subidas, mesmo em pavimento de qualidade.

Só que um cavalo 6×4 pode custar R$ 45 mil ou até mais que um 6×2. Para compensar o gasto extra, muitos transportadores de grãos estão mandando reformar carretas de bitrens fabricadas antes de 2006 para colocar mais um eixo em cada uma, transformando-as em bitrenzões de nove eixos com os mesmos 19,8 metros de comprimento de um bitrem comum.

Dessa forma, com um eixo a mais em cada carreta, o Peso Bruto Total Combinado (PBTC) passa para 74 toneladas, em vez das 57 toneladas do bitrem convencional. Um ganho de 30%! Ou seja: peso de bitrenzão ou rodotrem de 25 metros, só que concentrado nos 19,8 metros de um bitrem.

A artimanha tem outra vantagem: com uma única Autorização Especial de Trânsito (AET) por ano, esses bitrenzões com comprimento de bitrem podem rodar 24 horas todo dia (exceto nas estradas estaduais de São Paulo, onde o tráfego de qualquer bitrenzão é expressamente proibido). Já as composições de 25 metros só podem rodar de dia, fato que leva os transportadores de grãos a se desinteressarem por elas.

Por que só estão sendo reformadas as carretas de bitrens fabricadas antes de 2006? Porque a Resolução 211/2006 do Contran, que alterou o comprimento mínimo das composições de nove eixos (74 toneladas) de 19,8 metros para 25 metros, diz que “poderão circular, até o sucateamento, as Combinações de Veículos de Carga (CVCs) curtas registradas antes de fevereiro de 2006”.

Então é como se aquela carreta nova, de três eixos, que será usada para formar um bitrenzão, já nascesse velha e portanto dentro da lei, porque sua origem foi uma carreta de dois eixos, própria para bitrem, fabricada antes de 2006.

Em resumo: em vez de maior segurança no trânsito e benefícios ao pavimento, o que poderemos ter nas estradas no futuro é um sem-número de bitrens velhos transformados em perigosos bitrenzões curtos em oficinas independentes.

O fato é que, como dizem várias fontes ouvidas pela Carga Pesada, qualquer oficina está instalando eixos a mais nas carretas de bitrens, sem nenhuma garantia de que o “novo” implemento vai rodar com segurança.

Não se pode saber quantos bitrenzões de nove eixos e 19,8 metros estão chegando às rodovias, pois os órgãos de trânsito não têm controle sobre as composições completas. Eles dão registros separados para cada carreta.

No entanto, é possível dizer que o bitrem de sete eixos está perdendo a preferência dos transportadores. Na Randon, esses implementos representavam 60% das vendas de tanques até o ano passado; caíram para 22%. No segmento de grãos, o velho bitrem significava 57% das vendas; agora não passa de 11%. Na Guerra, 70% dos bitrens convencionais que eram vendidos antes, foram substituídos por implementos como o bitrenzão e a vanderleia, segundo o diretor comercial Luiz Mesquita.

A Carga Pesada procurou o Denatran para falar sobre o fenômeno da transformação de bitrens em bitrenzões. A informação é de que estão cientes do que anda acontecendo, mas só vão se pronunciar depois da conclusão de um estudo que está sendo realizado por uma câmara técnica.

Fonte: Carga Pesada




8 comentários em “O ‘milagre’ da transformação

  • 25/12/2016 em 22:03
    Permalink

    Eu gostaria de saber a respeito de se caminhoneiro, em Portugal quais dificuldade, e sobre a CNH quanto tenho pra muda pra carta portuguêsa, ou se tenho q fazer outra. Muita obrigado.

    Resposta
  • 02/04/2013 em 17:18
    Permalink

    Posso deixar contato para venda de um 9 eixos curto Randon ?

    Resposta
  • 29/03/2013 em 20:25
    Permalink

    Simples assim: a cada tonelada carregada, o caminhão deverá possuir 10CV, se quiser tracionar 53 toneladas, 530CV debaixo do cofre do motor… 74 toneladas, 740CV. Acabaria com “malandragens” e excesso de carga. Tudo isso a partir dos dados de fábrica, ou seja, o caminhão tem um motor de 420CV instalados de fábrica, sua CMT será sempre 42 toneladas…

    Resposta
  • 23/06/2012 em 07:52
    Permalink

    Dificilmente o CONTRAN vai fazer algo que realmente funciona. Sempre tem um interesse lobístico por trás.

    O que acaba mais com o valor dos fretes é o excesso de peso, isso sim é a pior das mazelas que prostituem o frete.

    Resposta
  • 04/06/2012 em 22:14
    Permalink

    até quando o governo eas altoridades vão fazer vista grossa a estes equipamentos clandestinos favorecendo os grandes transportadores que se achão acima da lei realmente o brasil é terra de quem tem dinheiro ai pode tudo para voce ver tão dizendo os engenheiros que ele derruba as pontes e danificão o pavimento e niguem faz nada parabens brasilzão vamos que vamos

    Resposta
  • 31/01/2012 em 19:09
    Permalink

    infelismente o que poderia se fazer e não deixar estes politicos roubarem tanto quanto estão nos roubando , então sobraria mais dinheiro para fazer melhores estradas e mais resistente pois disem que estamos no secúlo XXl pois alem das transportadoras existem os equipamentos que ganharam nome e hoje estão carissimos temos que mudar algumas marcas como tambem temos, que mudar muitos politicos e olhar melhor pelos motoristas e parceiros herois das estradas que transportão o progresso brasileiro incrusive para mesa ; destes politicos vereadores, prefeitos,dep. estadual, dep. federal;governadores; senadores;e porque não falar da nossa esselentisi-ma e diguinissi-ma presindenta da nossa REPUBLICA FEDERATIVA DO NOSSO BRASIL : este ano e ano de eleição vamos varer camaras municipais, prefeituras, camaras dos deputados est. e só não vender-mos nossos votos a hora e essa vamos comessar em são paulo e só as transportadoras pararem por quinze dias suas entregas porque o prefeito e governador só sabem governar proibindo de trabalhar dar solução aos poblemas para isso eles não tem capacidade até a prossima e obrigado pela oportunidade:

    Resposta
  • 08/09/2011 em 14:46
    Permalink

    e justamente esses bitrenzões tão acabando com os frete dos autonomos :s
    .
    a cada carga qe esse trem pega, toma a carga de 2 LS ,e de 2 motorista autonomo por ae :/
    .
    pai anda sofrendo com isso, muitas vezes,chega num lugar,num tem lote, acaba o produto,tal .. ae vai ver qual foi os ultimo a pegar,é uma frota de 9 eixo :/
    .
    paranaguá ta cheio desses trem ae ¬¬’

    Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!