Programa de sustentabilidade diminui consumo e produção de resíduos




A produção do caminhão 100 mil representa uma dupla conquista para a Iveco. Ao mesmo tempo que veículos estão sendo fabricados em tempo recorde, os índices de sustentabilidade na produção aumentam progressivamente. Isto se deve à implementação do programa WCM – World Class Manufacturing – adotado pela Iveco e por todas as empresas do Grupo Fiat.

“É um sistema focado na eliminação de desperdícios e melhoria acentuada de eficiência”, explica José Antonio Santano, diretor industral da Iveco na América Latina desde 2009. “Somente no último ano reduzimos o consumo de energia elétrica por veículo produzido em 10%, a quantidade de gás por veículo em 18% e o consumo de água por veículo em 14%”, contabiliza Santano. Além disso, segundo ele, a geração de resíduos industriais caiu 9% e a de efluentes, ou seja, líquidos e gases resultantes do trabalho industrial, em 8%. “Estamos produzindo mais, e de forma mais sustentável”.

O WCM foi implantado em 2009 e opera sobre 10 pilares de ação: Segurança e Higiene no Trabalho, Análise de Custos, Melhoria Focada, Organização do Local de Trabalho, Manutenção, Manutenção de Equipamentos, Controle de Qualidade, Logística, Desenvolvimento de Pessoas, Meio Ambiente. “Cada pilar tem seu líder e seu time, que aplicam as metodologias de análise e eliminam atividades que não agregam valor à produção ou que possam ser feitas em menor tempo, com menos energia e materiais e com menor esforço físico”, explica Santano.

O diferencial deste programa é a capacidade de produzir resultados significativos a partir de soluções que podem ser desde grandes projetos de reestruturação, até ideias simples. “Analisando o fluxo do forno de pintura descobrimos que poderíamos desligá-lo antes da passagem dos dois últimos veículos do turno pois ele ainda mantém a temperatura adequada para realizar a cura dos mesmos sem prejuízo à qualidade”, comenta o diretor industrial da Iveco. Essa simples mudança gerou uma economia de R$ 65.000 reais por ano.

Fonte: Blog da Iveco




Deixe sua opinião sobre o assunto!