Suspensão boa de pista




Lama, poeira e muitos obstáculos fazem do Rally dos Sertões uma das competições mais importante do mundo. Nesse tipo de disputa, um modelo de caminhão bastante conhecido das operações comerciais fora de estrada tem se destacado entre os caminhões pesados, o Mercedes-Benz Atego 1725 4×4 guiado por Guido Salvini, da equipe Salvini Racing, e por André Azevedo, da Petrobras Lubrax. Antes de ser dada a largada da competição deste ano, demos uma rápida volta à bordo do modelo alemão de Salvini, após a tomada de tempo em uma pista adaptada no autódromo da cidade de Goiânia, GO. E conversamos com os responsáveis por torna o veículo um campeão dos Sertões.

Segundo Eustaquio Sirolli, gerente de marketing de produto – caminhões da Mercedes-Benz do Brasil, o que de fato faz a diferença nesse tipo de corrida é a suspensão. “A Mercedes-Benz não influencia nesse componente. Nele é criada toda a estratégia das equipes”, comenta o executivo. Para este ano, o conjunto que equipa o caminhão do piloto Salvini ganhou novos batentes hidráulicos na parte dianteira e novos amortecedores, especiais para a competição, na suspensão traseira, o que, além de aumentar o conforto dentro da cabine, melhora a eficiência para superar os diversos tipos de obstáculos do trajeto. As peças precisam ser mais robustas e preparadas para esse tipo de percurso, que somou ao todo 4 026 quilômetros entre os estados de Goiás e Ceará. “Com a suspensão de corrida, o veículo fica cerca de 1,5 metros de altura entre o chassi e o chão”, especula Salvini.

O caminhão conta com tração 4×4 e chega a desenvolver até 175 km/h. O motor de 7 litros dispõe de mais de 400 cv de potência, 150 cv a mais que a versão vendida pela fabricante alemã. Essa configuração resulta em um consumo de combustível de 1,5 km/l.

Por dia, cada veículo roda em média 5 horas sem parar. São muitas frenagens e retomadas de velocidade, que exigem, além de freios eficientes, um trem de força bastante alinhado. O diferencial é adaptado para proporcionar retomadas de aceleração potentes e a caixa de câmbio MB GO110 de 6 marchas garantiram o bom desempenho da Atego pilotado por Salvini, que venceu, junto com Flavio Bisi, navegador, e Fernando Chweigert, copiloto, o quinto campeonato em 10 anos de competições.

Coadjuvante

Os pneus Michelin XZY 3 fizeram a diferença também para o bom desempenho do Atego 1725 no Rally dos Sertões 2011. Usado nas operações canavierias, o componente também se saiu muito bem em alta velocidade. O desenho mais robusto permite maior distribuição da pressão na área de contato com o solo, o que, consequentemente, melhora a dirigibilidade do veículo.

Fonte: Transporte Mundial




Deixe sua opinião sobre o assunto!