MWM International já testa tecnologia Euro 6




A MWM International começou a testar no Brasil protótipos de motores que atendam às normas de emissões de poluentes Euro 6, equivalentes à oitava fase do Proconve, P8. O desenvolvimento da tecnologia já passou a fase de testes em dinamômetros, em que foi aprovada, e agora passará por ajustes finais para entrar em produção em mais dois a três anos – os motores serão destinados à Daewoo, na Coreia do Sul.

O motor desenvolvido pela fabricante usa os sistemas de tratamento de gases EGR e SCR em conjunto, pois, de acordo com Domingos Carapinha, gerente de engenharia de motores da MWM International, seria impossível chegar aos 0,4 g/kWh de NOx exigidos pela legislação com somente um deles. Há ainda um terceiro sistema, o DPF – sigla em inglês para Diesel Particulate Filter –, que reduz para quase zero a emissão de material particulado.

“Com este filtro eliminamos quase 98% dos materiais particulados. E ele se regenera a cada cinco mil quilômetros. Ou seja: não gera ônus de manutenção.”

Segundo o executivo o motor Euro 6 reduz em cinco vezes a emissão de NOx e em duas vezes a de material particulado com uso de diesel S10, ou com 10 ppm. Há ainda menor consumo de combustível e de ureia, gerando ganhos ambientais e econômicos. O executivo não projeta o preço final do produto, mas garante que a MWM International “trabalhará para gerar impacto mínimo”.

Embora agendada para entrar em vigor no País a partir de janeiro de 2016, contratos de exportação com a Coreia do Sul – e outros em prospecção – fizeram a empresa adiantar o desenvolvimento do Euro 6 em alguns anos. O motor foi apresentado no Congresso SAE Brasil 2011, que começou na terça-feira, 4, e prossegue até a quinta-feira, 6, no Expo Center Norte, em São Paulo.

Para Carapinha é o “estado da arte em tecnologia de motores diesel”. O futuro, acredita, será o uso de combustíveis alternativos, provenientes de fontes renováveis, como o diesel de cana, sistema em que a empresa acredita e também foca no desenvolvimento.

Dois cenários

Em 2011 a MWM International baterá mais um recorde de produção, com 150 mil motores montados nas fábricas de São Paulo e Canoas, RS, resultado 5% superior ao do ano passado. Segundo Thomas Puschel, gerente da divisão de vendas e marketing, o volume representa 30% de participação no segmento de motores diesel no Mercosul, o que lhe dá a liderança da região.

Para o ano que vem a fabricante trabalha com dois cenários: um estável e outro otimista, de crescimento de 3% a 4% na produção. Puschel não espera redução nas vendas por conta da entrada em vigor das normas Euro 5, que encarecerão o preço final dos veículos. Segundo o executivo o governo estuda liberar linhas de financiamentos diferenciadas estes modelos, no que já está sendo chamado informalmente de Finame Verde. “Há ainda a questão do aumento no IPI, que beneficiou quem tem produção local.”

De acordo com Puschel a MWM se enquadra em todas as exigências oficiais de conteúdo regional e pesquisa e desenvolvimento. “Este ano investiremos US$ 85 milhões no País, cumprimos com a maior parte das onze etapas produtivas exigidas e temos 85% dos componentes nacionalizados.”

Fonte: Autodata

Inscreva-se




Deixe sua opinião sobre o assunto!