Com Euro 5, vendas de caminhões tendem a cair 10% em 2012




A Anfavea, associação dos fabricantes de veículos, espera que as vendas de caminhões desacelerem 10% no próximo ano, com o início do Proconve P7, também conhecido como Euro 5, nova etapa da legislação de emissões para veículos com motor a diesel. A entidade acredita que a queda possa ser suavizada com a adoção de medidas para impulsionar as vendas do segmento.

A principal delas seria o Finame Verde, linha com condições especiais para a aquisição de caminhões que atendam à legislação. “A ideia é que o cliente pague uma parcela semelhante a que ele pagaria ao adquirir um modelo antigo”, conta Marco Saltini, vice-presidente da associação. Com isso, as empresas minimizariam o impacto dos preços até 15% maiores dos veículos novos.

Desempenho em 2011

As vendas de caminhões chegaram a 157,2 mil unidades nos 11 meses do ano, com expansão de 12,1% sobre o mesmo período de 2010. Em novembro foram licenciados 13,4 mil veículos, com desaceleração de 3,2% em relação ao mês anterior e de 7,7% no reajuste anual. A queda surpreendeu as montadoras, que esperavam antecipação das compras no último trimestre do ano, antes do início do Proconve P7. “Os clientes ficaram apreensivos com a crise na Europa e decidiram esperar”, analisa Saltini.

A produção do setor cresceu em ritmo maior e chegou a 19,2 mil caminhões em novembro, com retração de 1,6% na comparação com outubro e alta de 10,9% sobre o mesmo mês do ano passado. No acumulado do ano foram fabricados 197,9 mil veículos do segmento, com crescimento de 13,5%. Desse total, 24,7 mil unidades foram exportadas. O volume representa avanço de 27,6% no reajuste anual.

Crescimento das marcas

A Volvo anotou a maior expansão nas vendas entre as fabricantes do setor e ganhou uma posição para ficar em quarto lugar no ranking de vendas, com 10,9% de market share. Os emplacamentos de veículos da companhia aceleraram 29,9% entre janeiro e novembro, para 17,2 mil unidades. A maior expansão foi registrada na linha de semipesados VM, que avançou 54% no mercado.

Já a outra fabricante de origem sueca, Scania, é a que mais perdeu espaço ao longo do ano e entregou quase 2 pontos porcentuais de participação, para ficar com 7,6% do mercado. Os licenciamentos da marca caíram 11%, para 12 mil veículos e a empresa desceu do 4º para o 6º lugar no ranking.

A MAN, que produz os caminhões Volkswagen, ampliou o market share em 0,7 p.p. e consolidou-se como líder com 46,5 mil unidades. Atrás dela está a Mercedes-Benz, que respondeu por 24,6% das vendas até novembro, mas perdeu 1,6 ponto e comercializou 38,8 mil caminhões. A Ford ficou com o terceiro lugar, com leve queda na participação, para 17,5%

A Iveco, que subiu da sexta para a quinta colocação no ranking, abocanhou uma parcela de 0,9 ponto e passou a deter 8,3% das vendas. Entre janeiro e novembro foram emplacados 13 mil veículos da marca, com aumento de 25,5% sobre os volumes comercializados há um ano.

Assista à entrevista exclusiva com Marco Saltini, vice-presidente da Anfavea:

Fonte: Automotive Business




Deixe sua opinião sobre o assunto!