O transporte na Copa




O Brasil pode se orgulhar da qualidade do transporte que se faz por aqui. Entre os transportadores de todo o mundo, especialmente dos países mais desenvolvidos, há o reconhecimento da competência e criatividade dos transportadores nacionais, sobretudo quando se confrontam a infraestrutura de transporte nesses países com a disponível no Brasil.

Apesar de toda limitação com as rodovias mal conservadas, portos, aeroportos, ferrovias e hidrovias sem infraestrutura capaz de atender às necessidades mais prementes de um transporte eficiente, os transportadores brasileiros se desdobram para realizar sua missão maior. E o fazem valendo-se de modernas tecnologias e logística criativa, mas contando, acima de tudo, com seu elevado espírito empreendedor e de uma determinação infatigável.

Antecipando-se ao desafio de oferecer um transporte de qualidade para atender às exigências dos maiores eventos esportivos do planeta, a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016, os transportadores brasileiros, por meio de sua entidade superior de representação, a CNT, Confederação Nacional do Transporte, e de suas entidades de qualificação profissional e de promoção do bem-estar social, Sest, Serviço Social do Transporte, e Senat, Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte, lançaram o programa “O Transporte na Copa”, com o objetivo específico de qualificar taxistas, motoristas de ônibus, agentes de bordo do transporte turístico, cobradores de ônibus, atendentes das empresas de táxi e locadoras de veículos para a prestação dos serviços com perfeição profissional.

“O Transporte na Copa” vai preparar, por meio de cursos e palestras, os profissionais do transporte que atuam na linha de frente na recepção dos visitantes nacionais e estrangeiros que se esperam para os eventos. O Sest/Senat está fechando parcerias com os ministérios dos Transportes, Cidades, Saúde, Turismo, Esportes e outras entidades para a realização conjunta do projeto.

Entre os vários assuntos abordados pelo programa, destacam-se: direção defensiva, primeiros socorros, mecânica, qualidade no atendimento e na prestação de serviços, pontos turísticos, enfrentamento à exploração sexual de crianças e adolescentes, conversão de moedas estrangeiras, inglês e espanhol instrumental, respeito ao meio ambiente.

Ainda como parte do programa, o projeto “Taxista Nota 10” vai promover, no prazo de três anos, de forma mais aprofundada, a qualificação de 40 mil profissionais nos idiomas inglês e espanhol e outros 40 mil, com assessoria do Sebrae, em gestão de negócios.

Estimativas do Sest/Senat apontam 399 mil trabalhadores em transporte como alvo do programa, nas doze cidades-sede da Copa do Mundo e em outras cidades turísticas brasileiras. Mais uma vez, os transportadores brasileiros darão o exemplo de sua competência e determinação, contribuindo na preparação de um Brasil desenvolvido e próspero.

Fonte: Autodata




Um comentário em “O transporte na Copa

  • 01/01/2012 em 02:25
    Permalink

    Gostaria de deixar aqui registrado a minha indiginação contras esses prefeitos.
    qui querem acabar com um direito que segundo aconstituição brasileira nos reserva o direito de ir e vir. pois ná maiorias das cidades brasileira este direito tá acabando por leis municipais. que alegam ser para deminuir o transito. ai eu pergunto praque agente donos de caminhao pagar os impostos cobrado se agente nao pode trabalhar. este ano tem eleçoies municipais pois este e o momento certo para que juntos mudamos essa triste realidade. hoje cada motorista de caminhao tem emedia de 3 a 5 votos somados jutos faz a diferencia. pois na hora de da seu voto cuidado para que seu voto nao se volte contra voce mesmo…

    veja o caso do cidadão sr Gilberto Kaçape . prefeito de são paulo qui se ele passar mais um ano no poder ele vai espulcar os caminhao da sua cidade (Sao Paulo).. já imaginou uma peste dessa no governo do estado?

    Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!