Conforto em peso




No mundo dos caminhões, raramente um modelo conquista um cliente pelo desejo ou pela imaginação. São geralmente veículos que buscam fornecer sempre a melhor relação custo/benefício possível para o frotista. Ou seja, consumo de combustível, manutenção e preço inicial é que contam. Entretanto, existe um segmento que parece fugir um pouquinho à regra.

Os caminhões pesados são aqueles super equipados, com motores imensos e até espaço para dormir e relaxar no interior. E, dentre esses, quem mais se destaca no Brasil é o Volvo FH. Além de ser o modelo topo de linha da marca sueca, é líder de mercado no setor. E, com as mudanças realizadas pela fabricante para adaptar o modelo ao Proconve P7, ele ficou bem mais moderno.

Em 2011, o FH liderou o segmento de pesados, segundo a Fenabrave – Associação das Distribuidoras de Veículos. Foram 8.203 unidades comercializadas da entre os últimos janeiro e dezembro contra 7.109 do Scania G, 2.810 do Scania P e 2.216 do Iveco Stralis, os mais vendidos do ano.

Como manda a tradição da marca, é na segurança que o FH tenta se distanciar dos principais rivais. E algumas dessas soluções também estão nos carros de passeio da marca sueca.

Caso do controle de estabilidade. Mas, diferentemente dos carros, no FH o equipamento funciona não apenas para manter a cabine em sua trajetória correta, mas também o reboque. Através da redução da potência do motor e da pressão individual dos freios em cada roda, o sistema previne o capotamento e o chamado efeito canivete – quando o reboque derrapa e faz um ângulo de 90º com a cabine.

O pesado também é equipado com o controle de cruzeiro adaptativo. Por meio de um radar na dianteira, ele mantém o caminhão no mesmo fluxo do trânsito, mantendo a distância ao veículo da frente. A Volvo ainda equipa o seu topo de linha com o sistema de monitoramento de ponto cego, aviso de mudança de faixa e um detector de fadiga do motorista.

No ponto de vista mecânico, o Volvo FH teve algumas modificações para este ano. Afinal, precisava se adaptar às normas do Proconve P7. O único motor usado continua a ser o de seis cilindros e 13 litros, mas agora com quatro calibragens diferentes. A básica rende 420 cv e 214 kgfm de torque entre mil e 1.400 rotações. As intermediárias geram 460 cv e 235 kgfm e 500 cv e 255 kgfm, enquanto a mais forte tem 540 cv e 265 kgfm de torque. O propulsor é dotado da tecnologia SCR para a redução nas emissões. Para funcionar perfeitamente, portanto, é necessário o aditivo ARLA32 – guardado em um tanque próprio no caminhão – que, através de reações químicas do catalisador, diminui as emissões.

Existem duas opções de transmissão. Uma manual de 14 velocidades e a automatizada I-Shift de 12 marchas. Na linha 2012, a Volvo promoveu mudanças mecênicas no eixo traseiro. Agora, ele não tem reduções nos cubos e possui carcaça fundida. De acordo com a engenharia da Volvo, essas modificações permitem que o eixo seja mais robusto e durável. O FH está disponível nas configurações 4X2, 6X2 e 6X4.

Para um caminhão desse porte, além dos atributos dinâmicos, é preciso ter um bom espaço e conforto no interior. Afinal, é comum o motorista passar a noite ou descansar na cabine de um caminhão pesado. Para isso, o FH tem cama reclinável – mais larga na linha 2012 – e há espaço na cabine para receber uma TV de 17 polegadas. O sistema de som é de série e tem entradas auxiliares e USB, além de ter compatibilidade com celular. O interior ainda tem como destaque o novo painel de instrumentos, com uma tela maior para o computador de bordo.

Fonte: Transposhop




Deixe sua opinião sobre o assunto!