Vendas de caminhões crescem 6,5% em janeiro




A venda de caminhões novos em janeiro de 2012 foi recorde para o primeiro mês do ano. Segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), foram emplacadas 13.006 unidades. Isso representa um crescimento de 6,3% na comparação com janeiro de 2011, quando foram vendidos 12.229 veículos.

Para o diretor Executivo da Associação Brasileira dos Distribuidores Volvo (Abravo), Francisco Garcia, a estatística deve ser vista com cuidado, pois representa o esforço de venda realizado em dezembro. “Os caminhões faturados em janeiro não necessariamente representam vendas de janeiro”, afirma. Ele também lembra que, em virtude do advento da motorização Euro V, obrigatória a partir de janeiro, houve antecipações de compra no último mês de 2011.

De acordo com a legislação, as montadoras não podem mais fabricar caminhões Euro III desde o 1º dia deste ano. Mas os veículos em estoque podem ser comercializados até março. Os Euro V custam até 15% mais que os Euro III.

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) prevê que, em virtude das antecipações de compra no ano passado, as vendas de caminhões em 2012 devem ficar 10% abaixo das de 2011, quando foram comercializadas 172.661 unidades.

Para o diretor da Abravo, esta é uma “boa” perspectiva. “Como houve antecipação de compra, é natural que o número de 2012 seja menor”, afirma. Apesar disso, Garcia não descarta um resultado melhor. “Nosso mercado é dinâmico e pode surpreender”, declara.

Já Luis Carlos Taoni Neto, diretor superintendente da Associação Brasileira dos Concessionários Scania (Assobrasc), diz que os números de janeiro não refletem antecipação de compras de veículos da marca Scania. “Desde o fim do ano passado, estamos promovendo os Euro V. Nem temos estoque de Euro III”, ressalta.

Ele não acredita em redução nas vendas em 2012. “Estamos trabalhando com estabilidade ou crescimento”, salienta. Taoni Neto diz que, ao final do primeiro trimestre, será possível fazer uma melhor avaliação de como o mercado vai se comportar neste ano.

Fonte: Carga Pesada




Deixe sua opinião sobre o assunto!