Noma apresenta cálculo de redução de mais de 16 mil reais no custo do frete‏




A Noma do Brasil elaborou um exemplo de cálculo econômico proporcionado ao transportador que utiliza os implementos da nova linha Fênix, a fim de comprovar que a fabricante paranaense oferece os produtos mais leves e robustos do país. Para ilustrar a estimativa foi escolhido o Bitrem Graneleiro, um dos implementos mais usados no transporte de cargas no Brasil. A conta foi realizada após questionar diversos caminhoneiros que fazem a famosa rota entre Rondonópolis (MT) até o porto de Paranaguá (PR).

Um profissional que transporta soja neste percurso ganha de frete cerca de 150 reais por tonelada do grão que carrega. Em média ele realiza ao menos quatro fretes completos por mês. Como o Bitrem Graneleiro da linha Fênix pesa no mínimo 380 quilos menos que qualquer implemento deste segmento do mercado, ele teria um ganho proporcional de 57 reais por frete, ou 228 reais ao final de um mês.

Ao multiplicar este valor por 12 meses, ao final de um ano o ganho seria de R$ 2.736. Ao considerar que um bitrem fica com o primeiro dono ao menos por cinco anos, chegaria então ao patamar de R$ 13.680. Se esta quantia fosse aplicada mensalmente em um investimento conservador como a poupança, rendendo 0,6% ao mês, no final deste mesmo período o caminhoneiro teria lucrado exatos R$ 16.407,96, sem acrescentar ainda nesta conta, a economia de troca de peças de reposição e pneus que também seria reduzida nos momentos em que o caminhão roda sem carga.

“O ganho para o caminhoneiro é real. É como se após cinco anos de uso ele conseguisse reaver cerca de 20% do custo do implemento investido, se comparado aos Graneleiros de nossos concorrentes. É um diferencial enorme de mercado para a empresa, que contribuirá para alavancar as vendas da nova Linha Fênix”, explica Luiz Mesquita, diretor comercial da Noma.

Meio ambiente

Por permitir que o peso final do caminhão fique mais leve que de seus concorrentes, é possível obter uma redução significativa no consumo de combustível, quando o veículo circula sem carga, gerando menos CO2 na atmosfera. Além disso, a linha Fênix também apresenta diversos outros quesitos de sustentabilidade, como a inovadora tampa EcoTech.

Trata-se de placas com duas camadas de alumínio e uma de polímero, desenvolvidas para substituir o compensado naval, gerando maior vida útil das peças e poupando o uso de madeira. A nova tampa é mais leve e durável, por resistir à corrosão, além de prática ao manusear.

A sustentabilidade também está presente na pintura da estrutura metálica da tampa realizada pelo processo E-Coat, um sistema moderno de aplicação de tinta em um circuito fechado que permite alcançar índices de desperdício próximos a zero. As lanternas com led, de maior durabilidade, implantadas com pioneirismo pela Noma, desde 2007, é outra iniciativa em prol de produtos com conceitos “verdes”.

Fonte: Assessoria de Imprensa Noma




Deixe sua opinião sobre o assunto!