Picape Marta Rocha – Chevrolet 3100 de 1956




Em 1954 o Brasil foi bem representado no concurso Miss Universo, nos Estados Unidos. Porém ficou em segundo lugar. Mas veio justamente de lá a homenagem a uma das mais belas mulheres brasileiras, Martha Rocha, em formato de carro cheio de curvas. Agora o detalhe são as polegadas a mais do motor que o modelo vem exibindo há alguns anos.

Originalmente a Chevrolet 3100 é um carro de trabalho, cujo nome verdadeiro não tem lá muito glamour comercial e o apelido veio a calhar (normalmente sem o “h” no primeiro nome, diferente da homenageada). “É um carro de mecânica robusta, pouco conforto, resistente para transportar peso e enfrentar estradas de terra. Nada de esportividade ou conceitos urbanos como as propostas atuais”, explica especialista.

Fabricada em meados de 1955 até o final de 1956, o veículo de design arredondado arrebatou os brasileiros. Alguns dizem que o apelido veio da cabine larga, outros que são os para-lamas evidentes, ou ainda a combinação saia e blusa em branco e azul – a cor dos olhos da modelo. De qualquer maneira a referência de beleza na época era a Miss Brasil que, reza a lenda, perdeu o concurso pelas medidas generosas de quadril, e a picape é ainda hoje de parar o trânsito para ser admirada.

E já que o assunto é trânsito, para o dono deste exemplar que usa o veículo há mais de 10 anos, optar por uma mecânica moderna e rodar com a picape ou carro antigo no dia-a-dia não é algo novo. “Há anos os entusiastas restauram para colecionar ou usar. Desses que preferem rodar, podem mantê-los original, o que fica caro para uso constante, ou atualizam sua mecânica. Eu pertenço ao segundo grupo”, diz o proprietário.

Comenta ainda que para atender sua necessidade usou como base uma Chevrolet SS 10 de 1994. Bem, na prática, ele vestiu a caminhonete mais nova com a carroceria Marta Rocha. “São carros que se conversam. Para falar a verdade foram poucas as adaptações”.

Assim, mudou para um motor Vortec V6, capaz de atingir 190km/h, câmbio automático, itens de conforto na cabine, entre outros. Quanto à estética, para reforçar a beleza natural do projeto, pintura em branco lótus de efeito porcelanizado e rodas japonesas com pneus Pirelli de tala larga.

Pouco tempo depois a GM parou de importar picapes e passou a fabricá-las na unidade de São José dos Campos, a linha Chevrolet Brasil. E aí começa outra história.

Fonte: Antigo Motors




Deixe sua opinião sobre o assunto!