Cruzar marchas, a origem do termo.




fnm cruza

800x150_blogodocaminhoneiro_02

Quem de nós, entusiastas do mundo dos caminhões, nunca ouviu o pai ou algum conhecido dizer que estava “cruzando marchas”? Ou que para certo caminhão ou tipo de cambio é melhor trocar as marchas “cruzando”?

O termo “cruzar marcha” significa que você vai ter que usar a sequencia de marchas certinha de um caminhão com cambio reduzido, ou seja, cada marcha (1°, 2°..) tem sua Simples e Sua Reduzida, então quando você “cruza” as marchas você usa a sequencia 1°R, 1°S, 2°R, 2°S, 3°R, 3°S….e assim até chegar a marcha simples final.

Mas você deve estar se perguntando “como assim cruzar? Não vejo cruzamento algum nesta troca..”. Então meu caro amigo, isso deve ser porque você não nasceu nos anos 60/70 e não conheceu os velhos FNM (FêNêMê) ou os Alfa Romeo (arfa) que usavam caixas se cambio reduzidas com a alavanca de seleção de Simples e Reduzida no painel, e como se não bastasse isso elas eram “secas/sincronizadas” ou seja, a marcha só engrenava no tempo exato de giro do motor. Então por demandar força na alavanca principal e na alavanca de seleção o motorista era obrigado, muitas vezes, a utilizar as duas mãos para realizar a troca simultânea, e os braços acabavam se cruzando, ai que surgiu o conceito de “cruzar marchas!” trabalhar “cruzando” entre outros.

Não conseguiu visualizar? Assista a esse vídeo a baixo que mostra a pericia de um “Alfeiro” cruzando as marchas em seu caminhão. Detalhe para a parte do vídeo que mostra o barulho do caminhão quando encontra uma subida, som maravilhoso de se ouvir, um dos roncos de motor/descarga mais lindos que já ouvi.

Desde a década de 80 os caminhões com caixa de cambio reduzida mudaram seu dispositivo de seleção para um mero botãozinho do lado da alavanca, não exigindo esforço nem cruzamento de braços do motorista.

E para uma  era mais contemporânea temos caminhões que nem alavanca de cambio tem mais.

"alavanca" do Scania optcruise
“alavanca” do Scania optcruise

Obrigado!

H. David.




7 comentários em “Cruzar marchas, a origem do termo.

  • 25/03/2014 em 17:35
    Permalink

    ae cabra veio tu e fera nessa maguina quero ver tu fazer nesses caminhão de hoje em dias tu não faz e nada ele faz sozinho dirigir caminhão hoje em dias e bom de mais o cara só aperta um botão ou empurra pra frente ou pra tras quero ver parar um bruto desse na subida carregado com 70 tonelada e sai cruzando abraços pessoal

    Resposta
  • 13/02/2014 em 13:30
    Permalink

    De todos os benefícios citados do cambio automático o único que pode ser questionado é a ECONOMIA DE COMBUSTÍVEL. Pelo menos em carro de passeio ainda não há cambio automático que possa ser mais econômico que um cambio manual. Eu tenho um carro (Grand Cherokee 4×4) com câmbio automático e digo que sim, meus cardans estão íntegros após 160.000 km, o cambio está uma manteiga, o motor de arranque nunca dá partida com cambio em D. Tudo isso preserva a mecânica do veículo, mesmo porque o módulo do cambio nunca troca marcha errada, diferentemente do “burrinho do volante”. Agora dizer que o bicho é econômico, isso não é mesmo!!! De qualquer forma nunca mais na vida compro carro com cambio manual. Coisa de pé-rapado…..

    Resposta
  • 14/12/2013 em 17:21
    Permalink

    Eu aprendi num D11000 ano 65 ,tbm cruzava as marchas a mais difícil de se fazer é a de 2 simples pra 3 reduzida a 4 reduzida no cotovelo não é tão complicada assim ,mas belo video hj tenho uma mula 2540 no bitrem trabalho na região de Paranatinga MT, curto mto o blog do caminhoneiro.

    Resposta
  • 11/12/2013 em 21:33
    Permalink

    BELO VÍDEO. HOJE UM MODERNO MOTORISTA NÃO CONSEGUE FAZER UM DÉCIMO DO QUE FOI FEITO NO VÍDEO.

    Resposta
  • 24/09/2013 em 11:31
    Permalink

    Sensacional !!!
    Realmente é de Arrepiar ouvindo esse Ronco Maravilhoso !!!
    É Incrível Ver Os Verdadeiros Alfeiros mostrando sua ARTE…

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *