Semipesados Scania, uma categoria singular.

144404307




Como sabemos, os veículos de transporte (que são o nosso foco no blog) são divididos em categorias classificadas de acordo com a capacidade de carga de cada veículo, são algumas delas, veículos leves, semipesados, pesados e extrapesados. Estas categorias são a base da seleção do caminhão certo para se comprar de acordo com a demanda de serviço entre outros fatores. Porém existem certos veículos que se destacam tanto em suas categorias que criam uma subcategoria dentro de sua categoria, é o caso dos semipesados da Scania, conhecidas popularmente como “Pêzinhas”.

Tudo começou em meados de 1994/1995 quando a Scania lançou o P93, que era uma espécie de R113 reduzido com um chassi de truck. O motor era um Scania de 9 litros que entregava 250 cv de potencia originais, torque de 1010Nm a 1200rpm, com o mesmo cambio 8 marchas dos 113 e um diferencial superlongo, que em números resumidos em fatos poderiam levar o caminhão a 110 km/h  “no verde”. Uma ”baratinha” que deixava seus concorrentes, na época MB1618, ford cargo, entre outros comendo poeira e CO. Verdureiros faziam até birra quando viam uma Pzinha cortando a estrada rumo ao Ceasa, deixando ele para trás ou com um motor fervendo na tentativa de alcança-la.

Scania P93 250
Scania P93 250

Em 1998 com o lançamento da série 4 a Scania não deixou de fabricar as Pzinhas, pelo contrario, fez uma versão em menor escala de um R124 da época com um motor semelhante ao da P93, mas agora com alguns ajustes que lhe deram 10 cv a mais (260cv), um cambio do 124 de 6 marchas reduzidas e um diferencial ainda mais longo que deixavam a brincadeira um pouco mais séria na linha verde do conta giros. Havia também uma versão de entrada com 220cv que também dava baile nos “bicudinhos” da época.

P94 260
P94 260

As Pzinhas sempre acompanharam as mudanças de estética e tecnologia dos produtos Scania, hoje a “baratinha” semipesada mais desejada da marca é uma “R440 de 4 patas (8×2)” em menor escala. Eu falo da P310, uma Pzinha que já carrega no nome sua fama, com 310 cv de potencia (60 a mais que seu irmão mais velho), com 1550Nm de torque entre 1100 a 1350 rpm, cambio automático Optcruise e toda tecnologia embarcada nos extrapesados da marca, números que deram apelido de “comedor de pneu da tração” pelos motoristas é o suprassumo dos trucks no Brasil. E ainda com opções de motor de 250hp á diesel e também a etanol e um motor intermediário de 270cv diesel, ambos também muito satisfatórios na categoria.

Scania P310
Scania P310

Porém tudo tem seu preço (literalmente), as Pzinhas sempre foram cerca de 20 a 30% mais caras que suas concorrentes. Tanto que é relativamente difícil você encontrar uma Pzinha na estrada comparando com o numero de concorrentes que você vê.

E é isso que torna as Pzinhas uma categoria singular, pois quem quer uma Pzinha, não quer um semipesado, ele quer uma Pzinha, ele não pesquisa preço nem prazo de entrega, ele já sabe o que quer e para que quer. Tanto que quando você vê uma Pzinha dificilmente ela é comum, ela sempre tem um “Que a mais”, ou é uma roda de alumínio, pintura personalizada, entre outros adornos. O que coloca estes veículos em uma categoria separada, só pra eles!

H. David.

Inscreva-se




Deixe sua opinião sobre o assunto!