Caminhões: EUA x Brasil




cascadia-evolution

800x150_blogodocaminhoneiro_02

Faz muitos anos que sou apaixonado por caminhões. Essa paixão começou a se desenvolver na infância. Assisti incontáveis vezes o filme “Falcão o campeão dos campeões”, pois nunca me cansava das cenas em que apareciam os cavalos mecânico americanos da década de 80 e 90.

Também não perdia um episódio da série Carga Pesada, em que os personagens Pedro e Bino dirigiam caminhões da VW como Titan e Constellation. Porém incrivelmente sempre me sentia atraído pelos filmes de caminhão americanos. Outro exemplo é o filme “Estrada Alucinante”.

Descobri então que admirava mais os filmes de caminhão americanos não pela qualidade da imagem ou pelo roteiro. Mas sim devido aos caminhões utilizados neles. Freightliner, Mack, Peterbilt…caminhões que além de terem muita utilidade, contam também com muita robustez e um desenho que intimida qualquer um.

Ao começar a observar no cenário brasileiro de caminhões, pude perceber que as coisas eram e são totalmente diferentes do cenário americano. Enquanto os grandes cavalos mecânico americanos sugerem muita força e robustez, os brasileiros sugerem apenas modernidade e leveza. Mas afinal quais consequências causam essas diferenças?

A primeira delas é a do conforto. O caminhoneiro americano tem conforto ao dirigir e muito mais conforto na hora do descanso. Já o caminhoneiro brasileiro tem conforto ao dirigir, porém na hora de descansar o conforto é simples. Normalmente há somente uma sólida “cama” acolchoada atrás dos bancos, na verdade muito espremida para alguém acima dos 90 KG.

actros-cama_620_413Na nova geração do Mercedes Actros, há uma espécie de beliche, sendo até confortável o descanso. Só que como na maioria dos caminhões de cabine reta, o aperto é algo que pode se apresentar, dependendo do tamanho do motorista. Resumindo a grande desvantagem dos caminhões brasileiros, é a falta de espaço entre bancos e leito. Gerando um desconforto ao motorista que descansa.

Já em um caminhão americano, o assunto é totalmente outro. Os fabricantes realmente mostram que a prioridade é o conforto do motorista. Em um Freightliner Cascadia, por exemplo, há de série geladeira, micro-ondas, televisão, guarda-roupas e armário para mantimentos. A cabine desenhada com grandes proporções revela que no interior do cavalo mecânico há mais que um caminhão. Há uma “casa móvel”.

cama freightlinerA preocupação em fabricar um caminhão confortável foi tanta, que a Freightliner projetou um cinto de segurança no leito de descanso. Embora pareça inútil, foi bem pensado, pois se, por exemplo, o acompanhante quiser descansar durante a viagem, ele poderá ir com conforto e mais segurança. Os caminhões americanos contam com inovações como luzes de cabine embaixo do painel, porta copos, e controles de cruzeiro (piloto automático).

Outro grande diferencial dos pesados americanos é o interior em dezenas de combinações de cores. Desde a cor creme, até a vermelha com faixas em diversas tonalidades. Em grande parte dos modelos de caminhões americanos, bancos de couro são de série.

Iveco Stralis NROs caminhões oferecidos no Brasil também têm suas vantagens em relação aos americanos. Um exemplo disso é o painel do Iveco Stralis NR. Sua modernidade e tecnologia são tão fortes que chega a lembrar carros de luxo alemães.

12Nos americanos o desenho do painel de instrumentos não harmoniza com o conforto e requinte que eles oferecem. Porém parecem e são mais precisos que os painéis mais modernos. Isso se dá devido a fácil leitura que esses instrumentos permitem.

Agora, mais do que nunca, a indústria de caminhões no Brasil se mostra preocupada. As fabricantes dizem que 2012 foi um ano ruim de vendas. A Volvo, por exemplo, teve uma queda de 15% nas vendas, em relação ao mesmo período em 2011. As montadoras investem em inovações estéticas desnecessárias, e por fim os modelos acabam sem exclusividade nenhuma em relação aos concorrentes.

Um Volvo FH16, pode ser facilmente confundido com seu antecessor FH12. Um Mercedes Actros é a cópia do seu irmão Axor, e ambos são muito semelhantes ao Iveco Tector. Então com tantas opções iguais no mercado, ou o cliente opta por comprar sempre o que estiver mais em conta e tiver mais vantagens, ou por comprar um modelo usado; já que já há tantos anos, as marcas de caminhões brasileiras insiste em trazer caminhões com o design na mesmice de seus concorrentes, e modelos anteriores.

Fonte: Notícias Automotivas Por Jefter Marcos




9 comentários em “Caminhões: EUA x Brasil

  • 04/10/2016 em 23:54
    Permalink

    bom acho que todo mundo sabem que a maioria das fabricantes de caminhões no brasil,são se origem europeia e la na Europa não é costume deles fazer cabines grandonas,pois la eles sofrem com a falta de espaço na cidades e locais de descarga enfim quanto menor o caminhão melhor sera a desenvoltura dele. Ja aqui no Brasil os motoristas se adequaram ao jeitão europeu aonde o caminhões são altos tem suspensão independente da cabine e eu duvido muito que algum motorista queira trocar o conforto do cambio sincronizado pra bater cabeça o dia todo com aquela caixa seca fuller. e pra ser mais direto ate daria para as fabricantes aqui no Brasil fazer os caminhões com cabines maiores o problema seria que a tara dos caminhões iriam aumentar logo a capacidade de carga ultil diminui e provavelmente os transportadores perderiam com esse aumento na tara dos caminhões logo se ganha em conforto mais se perde na capacidade de carga.

    Resposta
  • 26/11/2013 em 23:17
    Permalink

    So queria saber se esses caminhões americanos aguentam as estrada fuleras, ferradas, abandonadas deste brasil varonil

    Resposta
  • 26/11/2013 em 21:00
    Permalink

    Dizer que os caminhões brasileiros são semelhantes uns aos outros não faz sentido e mostra uma falta de conhecimento no assunto pois no mercado americano as marcas também competem com produtos muitos semelhantes vale citar como exemplo a Paccar que é detentora das marcas Peterbilt e Kenworth que tem produtos identicos com pequenas mudanças estéticas para diferenciar um modelo do outro como o Peterbilt 579 e Kenworth t680 por exemplo

    Resposta
  • 25/11/2013 em 15:17
    Permalink

    Essa matéria parece ser antiga e ainda é fraca sobre a comparação. É dito a avaliação de vendas de 2012 em comparação a 2011, o que sugere a matéria ser de 2012 visto que estamos em 2013 ainda que as vendas anuais não tenham encerradas, mas é possível fazer uma análise com relação ao ano de 2012.
    A comparação entre os veículos daqui e dos EUA vai muito além sobre o tipo de cabine e conforto. Primeiro que boa partes dos nossos veículos são de origem europeia, então não são brasileiros e se há alguns produtos exclusivos, estes são influenciados pela aplicação de produtos europeus aqui.
    Outra diferença que influencia no conforto da cabine é a legislação. Aqui é considerado o tamanho total do veículo, logo se o foco é carga, quanto menor a cabine mais espaço há para cargas, daí cada vez mais as cabines avançadas serem adotadas. Nos EUA, em carretas, a limitação é do semirreboque ou reboque, logo cabine mais amplas são muito comuns. Na net é possível ver carretas cujo cavalo usa um cabine enorme chegando ao tamanho de caminhão pequeno.
    Nos EUA é comum os caminhões terem dois eixos de tração como os 6×4. Aqui, mesmo no segmento extra-pesado, cavalos com três abaixo das 57ton são 6×2 ou 4×2. Os 6×4 só recentemente estão sendo adotados nos CVCs, ainda que estão fazendo soluções para evitar uma configuração bitrem via cavalo 8×2 atrelado a um semi-reboque com três eixos..

    Resposta
  • 25/11/2013 em 15:05
    Permalink

    NÃO DÁ PRA COMPARAR BRASIL COM OS EUA, EM NENHUM DOS SEGMENTOS E SETORES NA INDUSTRIA, INFRAESTRUTURA, QUALIDADE DE VIDA. UNICA COISA QUE O BRASIL GANHA É AKI NÃO TEM FURACÃO, KKKKKKK……………

    Resposta
  • 25/11/2013 em 13:49
    Permalink

    São mercados completamente diferentes. E se por aqui rodassem os brutos Norte Americanos não teriam o mesmo luxo de lá a exemplo do que roda no México e mesmo o International Brasil.

    Resposta
  • 25/11/2013 em 10:21
    Permalink

    Olha, respeito sua opinião os trucks americano são realmente belos, sem duvida, mas você entende nada de caminhões, dizer que actros é copia do axor sendo que o actros foi lançado primeiro e os dois ser igual ao tector, você nao sabe nada mesmo tem fabricante americano que usa a mesma cabine para modelos diferentes exemplo disso é a Volvo americana, é melhor entender do assunto antes de postar algo, fica a dica.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *