Governo faz estudo de viabilidade para concessão de rodovias de MT

mt-130-buracos




O governo de Mato Grosso deve dar continuidade aos estudos de viabilidade de concessão de rodovias estaduais para a iniciativa privada com a alegação de que o estado não tem capacidade para fazer a manutenção dos cerca de 30 mil km de estradas que tem. A intenção é analisar, pelo menos, 16 rodovias, de acordo com a Secretaria de Transporte e Pavimentação Urbana do estado (Setpu), que informou ainda que somente a MT-130 é terceirizada.

“Se depender de mim, vou terceirizar todas as estradas que forem viáveis, que derem estudo de capacidade para terceirizar. Tenho várias estradas que mandei fazer estudos para terceirizar. Porque eu estou no estado de Mato Grosso, não sou permanente. E vejo que o estado não tem capacidade de fazer manutenção nas estradas que tem e avançar nas estradas que faltam ser construídas”, disse o governador Silval Barbosa, em entrevista na última sexta-feira (14).

O chefe do Executivo estadual disse ainda que menos de 7 mil km das rodovias de competência do estado são pavimentadas. “Eu vou pavimentar mais 3 mil km. Dentro dos 7 mil km, 4 mil km estão em péssimas condições. São estradas de 20, 30 e 40 anos. O estado mal tem dinheiro para manutenção. Como que você vai avançar para construir esses outros 20 mil km? O agronegócio avançando, o estado desenvolvendo, as pessoas pedindo infraestrutura nessa região”, justificou.

Segundo Barbosa, os recursos do Fethab (Fundo Estadual de Transporte e Habitação) de 2015 devem ser aplicados exclusivamente nas estradas. “Eu vejo que o estado tem que focar. O Fethab no ano que vem deve ter R$ 1 bilhão. Não tem mais Copa, nem nada. Tem que pegar esse dinheiro e investir em novas estradas. E essas estradas que tem ir passando para associação de produtores, ir terceirizando para as pessoas ajudarem a coletar alguns recursos para fazer a manutenção”, disse.

Polêmica MT-251

Barbosa também afirmou que a quantidade de praças de pedágio prevista na concessão da MT-251 entre Cuiabá e Campo Verde, passando por Chapada dos Guimarães, pode mudar. “Isso está sendo dimensionado. Pode ser muito? Diminui”, afirmou o governador.

O estudo de viabilidade apresentado pela empresa contratada pelo estado prevê quatro praças, com valores entre R$ 4,10 e R$ 7,35, o que foi alvo de questionamentos dos participantes das audiências públicas feitas nos três municípios. Relatório final dos estudos de viabilidade social, técnica e econômica da concessão deverá ser finalizado na próxima semana, segundo a Setpu.

Fonte: TV Centro América




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *