Falta de motoristas afeta 30% das transportadoras do Porto de Santos

porto de santos

Cerca de 30% das transportadoras que têm como sede a Baixada Santista e atuam na movimentação de cargas do Porto de Santos estão com a frota de caminhões parada total ou parcialmente.

O motivo é a falta de motoristas para conduzirem os veículos – défict que tem aumentado ano após ano. Para reverter esse panorama, as empresas estão apostando em capacitação.

Um parceria entre o Sindicato das Empresas de Transporte Comercial de Carga do Litoral Paulista (Sindisan), o Serviço Nacional do Transporte (Sest) e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Senat) possibilitará a formação de novos motoristas para suprir a demanda. Esses profissionais, inclusive, terão cursos na área por dois anos.

Lançado oficialmente no último mês em todo o Brasil, o Programa de Formação Especializada em Transporte do Sest/Senat, que chega agora ao litoral, é gratuito.

O objetivo é oferecer habilitação para novos condutores do transporte de carga – que atendem principalmente ao cais santista – e até mesmo de passageiros para o translado entre as cidades.

O programa foi apresentado na manhã de ontem, em evento realizado na sede do Sindisan e que reuniu empresários do setor.

“Não basta apenas entregarmos a CNH. Ele (o motorista) precisa adquirir conhecimentos em outras áreas: como meio ambiente e logística”, destaca o diretor do Sest/Senat, Sérgio Pereira.

A troca de categoria da habilitação é gradativa e ocorre de acordo com a conclusão de cada módulo pelo funcionário – que, a princípio, não precisa nem ser motorista.

Em todo o Estado, são quase 11 mil vagas disponíveis. Para a Baixada Santista, o número ainda não está fechado. As oportunidades locais serão proporcionais à quantidade de empresas parceiras que aderirem à iniciativa.

Sérgio Pereira lembra que não há custo para o funcionário e nem para a empresa, uma vez que não existem taxas de manutenção ou adesão.

Momento oportuno

Para o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Comercial de Carga do Litoral Paulista (Sindisan), Marcelo Marques da Rocha, a parceria estabelecida entre as entidades ocorre em um momento mais que necessário.

“Ter 30% das empresas com a frota parada e, em alguns casos, mais do que isso, é algo muito grave e que precisa ser revertido”.

Rocha lembra que o programa poderá equilibrar a atual disputa que existe entre as empresas pela mão de obra capacitada para realizar os serviços de transporte.

“A guerra está desleal e desequilibrada. Temos que encerrar esse assédio pelo motorista da outra companhia pela falta de outro preparado”, diz, na esperança de que haja grande adesão.

O prazo para oficializar a participação no projeto termina na próxima sexta-feira (dia 21). A transportadora pode entrar em contato direto com o Sindicato (em seu endereço eletrônico www.sindisan.com.br) ou então com o Sest/Senat (www.sestsenat.org.br).

Assim que for definido o panorama, as auto-escolas de Santos, São Vicente, Guarujá, Cubatão e Praia Grande serão contratadas.

Fonte: A Tribuna

Adicionar a favoritos link permanente.
  • edson

    sou motorista cat E 4 anos de experiencia estou procurando emprego
    estou parado a tres meses,nao falta motorista no mercado,falta empresas com vontade de contratar e valorizar o motorista,se tem frota parada e porque quer.

  • leocoe

    Estão a oferecer cerca de 1600 reais de salário + alguns adicionais..Que na verdade não fazem o salario ser descente. Apenas paliativos, meios de ludibriar o fisco.. Olha aqui na Região da grande porto alegre, existe uma transportadora que, mesmo o motorista tirando suas refeições do bolso ( não são ressarcidos), pedem que traga nota de gastos de no mínimo 30 reais por refeição, assim lançam na contabilidade como despesa..Pena não poder colocar o nome da mesma, pois não teria como provar. Mas sei pq meu primo la trabalha..

  • Claudio

    A gente ouve a toda hora tá faltando motorista!
    Ai vc vai até as empresas .é eles falam deixe seu corriculo que a gente liga.
    Mais quando eu não sei . Não sei que tipo de motorista tá faltando DE CARRETA É QUE NÃO É.

  • leocoe

    Do tipo colombiano. salário de 1000 pilas, mais 15 reais diaria, rodar 30 dias mes.

  • https://www.facebook.com/adilson.simon.7 Adilson Simon

    empresa q paga bem nao fica sem motorista, e nem com caminhao parado….

  • Alexandre

    Não falta motorista não, o que falta é empresa decente, com salário digno e que cumpra as leis trabalhistas. O que mais tem é empresa mal administrada, boca de porco, que trabalha por frete baixo ou que então rouba o motorista na cara dura. E motorista bom pra este tipo de firma é motorista que aceita a mixaria que eles pagam, que trabalhe direto sem folga e que não reclame ou questione nada. Esse tipo de empresa tem mais é que perder os clientes, fechar as portas e devolver os caminhões pro banco.

  • http://blogdocaminhoneiro.com/2014/03/falta-de-motoristas-afeta-30-das-transportadoras-do-porto-de-santos/ fabio melo

    muintas empressas falam que motorista esta em falta eu dirijo todo tipo de caminhão,mas não tenho cnh E,estou deszempregado a mais de 3 meses, eu moro em alagoas e estou viajando para são paulo para arrumar emprego,e mesmo eu crassificando minha cnh para E as empressas pedem no minimo 2 anos de esperiencia na carteira de trabalho de carreteiro,eu acho que as empressas deveriam dar oportunidade a quem quem não tem experiencia empregalos, capacitalos e fazer sua propria frota,porque a gente não nasce sabendo.