MAN reduz projeção para mercado de caminhões neste ano

Constellation 420 cavalos




As vendas de caminhões no primeiro trimestre deste ano esfriaram as estimativas de mercado para 2014 da MAN Latin America. Roberto Cortes, presidente, já revisou suas projeções: antes, acreditava em alta de 5% ante os 154,5 mil emplacamentos de 2013 e, agora, projeta estabilidade com viés de baixa.

“Não prevemos aumento de vendas para este ano. A economia não se desenvolveu como estimávamos.”

O executivo evitou falar sobre porcentuais, mas justificou a revisão: “Janeiro e fevereiro, mesmo com mais dias de vendas, apresentaram queda de 4% na comparação com o ano passado. E em março sofremos o efeito do carnaval. Dessa forma, o primeiro trimestre não foi bom e por isso revisamos os números para o ano”.

Segundo o executivo embora um novo recorde na safra esteja previsto, o que anima as compras do setor agrícola, outros segmentos estão aquém do esperado.

“O agronegócio vai bem, assim como setores de distribuição de bebidas e alimentos, coleta de lixo e infraestrutura. No entanto ainda aguardamos a recuperação da indústria e do comércio.”

Cortes não acredita que a Copa do Mundo vá prejudicar as vendas. “O movimento de consumo gerado pelos jogos compensará a redução de dias úteis.”

Quanto ao avanço das discussões com o governo sobre proposta de um programa nacional de renovação de frota, apresentado pela Anfavea, o presidente afirma estar “esperando e esperançoso”. E argumenta:

“Não há dúvidas de que nossa frota é duas vezes mais velha do que a europeia. Seria economicamente viável ter uma frota nacional de caminhões de no máximo oito anos, o que contribuiria também para o aumento da segurança”.

Fonte: Portal Autodata




Deixe sua opinião sobre o assunto!