Como reduzir os acidentes nas estradas

ESP Volvo




Muito pode ser feito por meio de investimentos em educação e capacitação, além de melhorias de infraestrutura e fiscalização, mas a tecnologia também pode ser uma grande aliada.

A Bosch comemora a produção de 100 milhões de ESP (Controle Eletrônico de Estabilidade) no mundo, desde quando começou a ser fabricado em 1995. Porém, no Brasil não há o que comemorar. Poucos caminhões saem de fábrica com esse equipamento que poderia reduzir significativamente os acidentes, principalmente os tombamentos. Segundo a Bosch, a tecnologia reduz a possibilidade de derrapagem em até 80%. O ESP, por princípio de funcionamento, precisa que o caminhão tenha o sistema ABS (antitravamento dos freios). A inclusão do ESP no caminhão custa cerca de R$ 3000, segundo a Ford.

Considerando o quanto a tecnologia pode ajudar na redução de acidentes, mortes e prejuízos materiais, não é muito caro. Esse valor, inclusive, poderia ser menor com o ganho de escala.

A Volvo do Brasil oferece o ESP nos modelos rodoviários da família F (FH e FM) desde 2009, porém, em 2013 apenas 5% da produção da Volvo saiu com o equipamento instalado. Segundo informações da assessoria da marca sueca, a tendência é de crescimento. A Scania passa a oferecer o ESP com a família Streamline, lançada no ano passado. A Ford, com o lançamento da nova família de caminhões extrapesados em 2013, surpreendeu o mercado com o Ford Cargo 2842 com o ESP e controle de tração disponíveis, pois o modelo chegou com mais tecnologia do que caminhões de marcas que dizem ter produtos “premium”. A MAN Latin America e Iveco equipam os seus modelos na Europa, mas, no Brasil, retiraram o equipamento de segurança do MAN TGX e do Iveco Stralis Hi-Way.

Por princípios de sempre defender a segurança de seus leitores, defendemos que o ESP seja obrigatório por lei, pelo menos, para caminhões rodoviários, o que não é complexo, pois o sistema atua integrado ao ABS, e hoje todos os caminhões já saem de fábrica com freios ABS, o que já é mais do que meio caminho andado. Na Europa, o ESP será obrigatório para caminhões a partir de 2015, mas antes de ser obrigatório, 78% dos automóveis e caminhões europeus já saem de fábrica com a tecnologia, segundo a Bosch. E, obviamente, que a indústria de implementos rodoviários precisa evoluir junto, como já faz a Noma do Brasil, que oferece o ESP para todos os seus semirreboques

Fonte: Revista Transporte Mundial




Um comentário em “Como reduzir os acidentes nas estradas

  • 25/04/2014 em 09:15
    Permalink

    Quero ver esse tal ESP(controle eletrônico de estabilidade) funcionar nas estrada brasileiras. O que funciona bem por aqui é: PEDÁGIO CARÍSSIMO, ROUBOS, BURACOS, ASFALTO PÉSSIMO, dentre outras m*rdas que os governantes nos metem goela abaixo…

    Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!