Foton Aumark mantém otimismo e visa vender mil unidades neste ano

Foton Aumark 6.50 (4)




Apesar da desaceleração do mercado de caminhões no início de 2014, a chinesa Foton Aumark se mantém otimista. Com sua primeira fábrica em construção no Brasil, a marca projeta atingir vendas de mil unidades neste ano e a perspectiva é de que os números só aumentem nos próximos anos.

“Não temos visto desaquecimento. A tendência ainda é de crescimento da indústria de caminhões para os próximos anos”, afirmou o vice-presidente da Foton Aumark do Brasil, Orlando Merluzzi.

Segundo o executivo, a expectativa é que este mercado registre alta média anual de 3% nos próximos anos. “Pode haver algum soluço, mas o setor vai continuar crescendo”, reforça.

A Foton irá construir uma fábrica em Guaíba (RS), após desistir do Rio de Janeiro. “Não conseguimos viabilizar a planta por licenças ambientais no Estado do Rio”, explica Merluzzi. Justamente por conta desta complicação, a empresa não conseguiu se habilitar ao novo regime automotivo, o Inovar-Auto, a tempo de evitar a derrubada das vendas em 2013. “Este acontecimento nos atrapalhou muito”, justifica.

Porém, para este ano, Merluzzi está otimista. A montadora está à procura de concessionários para ampliar o canal de vendas dos caminhões da marca. Hoje, a Foton Aumark possui 22 concessionários no País, dos quais 15 já estão em operação e sete para começar a operar.

“Temos sido bastante procurados por investidores. Nosso objetivo é atingir 90 concessionárias até a fábrica entrar em operação e, por isso, precisamos começar os trabalhos desde já”, explica Merluzzi. A previsão da Foton é de que a unidade fabril comece a operar no primeiro semestre de 2016.

O executivo explica que, hoje, a Foton possui a maior cota de importação do mercado de caminhões, de 8 mil unidades ao ano. O número é resultado da conta feita pelo Inovar-Auto para novas entrantes, que podem importar proporcionalmente à capacidade de produção da futura fábrica a ser construída.

“Já temos um lote grande de caminhões na China que está somente esperando para desembarcar no Brasil”, destaca Merluzzi. A montadora produzirá em Guaíba, inicialmente, caminhões de 3,5 a 10 toneladas. “Vamos aumentar a linha gradualmente até 24 toneladas, faixa que compreende ao maior volume de vendas no País”, diz.

Fonte: DCI




Deixe sua opinião sobre o assunto!