Modelo de concessão da BR-163 será mais econômica para os motoristas

Br-163




De acordo com o superintendente do Dnit Luiz Antônio Garcia, o modelo como foi feita a concessão da BR-163 será mais econômico para os usuários. Isso porque o trecho entre Rondonópolis e o Posto Gil será de responsabilidade do Dnit, não da Odebrecht, empresa que ganhou a licitação. Segundo Garcia, como o órgão já tinha todos os projetos prontos e os recursos vindos da União, para este trecho, ele mesmo fará a revitalização e a duplicação, o que reduz o valor do pedágio para a sociedade, que ficou em média R$ 2,60 por cada 100 quilômetros rodados.

O superintendente conta que o termo de transferência da concessão foi publicado e que tem três lotes contratados de Rondonópolis a Cuiabá. Um deles começou no ano passado e há expectativa que ainda este ano os próximos dois entrem em andamento. Conforme ele, o Plano de Exploração da Rodovia (PER) ainda obriga a Odebrecht a restaurar com acostamento, tapa buracos e outras melhorias o trecho concedido para duplicação até o final do segundo ano de contrato. Garcia acredita que a duplicação da BR-163 é mais do que necessária, tendo em vista que o tráfego na região é muito alto, principalmente de carretas. “É bom que haja muitos caminhões e escoamento de produção, mas a União não conseguiu acompanhar este desenvolvimento e as rodovias ficaram ruins”.

De acordo com ele, o trecho de estradas do Estado que sempre preocupou o Dnit foi a BR-163, no entanto, como ela foi passada para a iniciativa privada, a tensão diminuiu. Para o superintendente, é importante revitalizar a rodovia porque é nela que passam 70% da produção agrícola de Mato Grosso.

Fonte: RDNews




Deixe sua opinião sobre o assunto!