Obra da Foton em Guaíba-RS começa quinta-feira

Foton Aumark do Brasil




A direção da Foton Aumark do Brasil marcou, para esta quinta-feira, o ato oficial de começo das obras de implantação de uma montadora da marca chinesa de caminhões no município de Guaíba. O convite começou a ser divulgado na quinta-feira passada.

A largada dos trabalhos acontece a partir das 10h, no terreno que, no fim dos anos de 1990, foi vinculado à construção de uma fábrica de automóveis da Ford. Desacertos entre a montadora e o governo Olívio Dutra (PT) provocaram a suspensão do projeto na área, que acabou sendo deslocado para Camaçari, na Bahia. Os empreendedores marcaram o evento mesmo sem ter ainda em mãos a licença de instalação (LI), exigência para dar início ao projeto.

A LI é expedida pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam). O projeto obteve somente a licença prévia. A assessoria de imprensa do órgão ambiental informou, na quinta-feira passada, que a liberação da licença está nos últimos detalhes e deve ser finalizada nesta semana. A área técnica do órgão de defesa do meio ambiente não se manifestou, porém, sobre a data agendada pelos empreendedores para dar início às obras. Os donos da Foton Aumark, todos brasileiros, chegaram a projetar o começo da implantação para janeiro, depois de ingressar com pedido de licenciamento em setembro de 2013 na Fepam.

O presidente da Foton Aumark do Brasil, Luiz Carlos Mendonça de Barros, disse, no começo de abril em Porto Alegre, que o teto para dar início ao projeto era de 60 dias. Este prazo, segundo Barros, viabiliza o cronograma da empresa é de começar a produção comercial na fábrica em 2016.

O investimento é estimado em R$ 260 milhões na primeira fase, com meta de montar 15 mil caminhões de diversos portes em 10 anos. Pelo menos R$ 40 milhões devem sair dos cofres do governo estadual, que obteve autorização da Assembleia Legislativa para participar em parte do capital.

O Badesul ingressará com o capital pelo Estado e analisa o plano de negócio para chegar a um parecer sobre o investimento. O modelo de aportes deve seguir o do Bndespar, segundo a direção do Badesul. Barros afirmou que a fatia de recursos públicos é essencial para viabilizar o empreendimento, que também terá incentivos fiscais.

A futura montadora obteve R$ 40 milhões de empréstimo-ponte do Banrisul. A Foton também ingressou com pedido de financiamento de R$ 95 milhões no Bndes, previsto a empresas habilitadas no programa Inovar-Auto, com nacionalização progressiva da produção.

Fonte: Jornal do Comércio




Deixe sua opinião sobre o assunto!