Avaliação do Iveco Hi-Way 560

Iveco Stralis Hi-Way 560 (5)




Investir em aplicações rodoviárias de longa distância requer visão estratégica. E a Iveco parece ter se baseado nisso na hora de lançar no Brasil a linha Hi-Way. Embora grande parte dos caminhões adquiridos não sejam conduzidos pelos compradores, a preocupação com os motoristas deve ser cada vez maior. Com a redução da jornada de trabalho dos caminhoneiros, agora limitada a nove horas diárias e 35 semanais, aumentou a necessidade de manter uma velocidade média maior, oferecendo mais potência nas subidas e frenagem mais eficiente nas descidas. E é exatamente essa a principal evolução dos novos extra- pesados da fabricante italiana, lançados em agosto de 2013.

Iveco Stralis Hi-Way 560 (7)O Hi-Way é movido sempre pelo motor FPT Cursor 13, com exatos 12.9 litros, e sistema SCR, de redução catalítica seletiva. As calibrações para 440 e 480 cv de potência, já oferecidas na linha Stralis, foram mantidas. Mas criou-se uma configuração mais poderosa para a Hi-Way, de 560 cv, em que o propulsor recebe cabeçote em alumínio, aftercooler e novo sistema para controle de fluxo na turbina. No lugar de aletas de ângulo variável dos TGV tradicionais, o turbo do Cursor 13 tem um anel deslizante que abre e fecha de acordo com a necessidade de entrada de ar na turbina. O torque fica em 214,14 kgfm, 229,44 kgfm e 254,93 kgfm, nas configurações 440, 480 e 560, respectivamente, já disponíveis a 1.900 rpm.

Iveco Stralis Hi-Way 560 (4)O motorista conta com diversas facilidades. O câmbio automatizado tem 16 marchas e todas as informações do painel são controladas a partir do volante. De série, o caminhão ganha controle de cruzeiro, limitador de velocidade e computador de bordo que monitora consumo instantâneo e médio, velocidade média, autonomia, desgaste das lonas de freio, pressão do sistema hidráulico e nível de Arla 32. Um econômetro indica a forma mais eficiente de condução. Segundo a Iveco, melhorias aerodinâmicas reduziram o coeficiente de arrasto em 3% e resultam na economia de combustível de 0,6%.

Iveco Stralis Hi-Way 560 (3)O conforto e a eficiência do Hi-Way 560 são evidentes nos bancos revestidos em couro com descanso de braço, suspensão a ar e ajuste de lombar. Tudo para ampliar o conforto e minimizar os impactos das imperfeições do caminho. A boa impressão sobre as comodidades da cabine vai além. São 2,5 metros de largura por 2,25 m de comprimento. Na versão teto alto, uma pessoa de até 1,90 m de estatura fica em pé sem ter de se curvar. A cama para repouso leva espuma viscoelástica e os dois maleiros têm chaves individuais –, possibilitando o uso concomitante por dois motoristas que dividam a viagem.

Iveco Stralis Hi-Way 560 (6)O percurso – que teve cerca de 150 km – começa em Jundiaí, onde o Demo Driver da Iveco pega o Rodoanel Mário Covas, no sentido Baixada Santista, e roda até o acesso à rodovia Castelo Branco. Na altura do km 53, em Araçariguama, pausa para o almoço. Chama a atenção a competência do climatizador. Mesmo com o motor desligado, ele é capaz de manter o ar refrigerado e umedecido. O passeio segue 90 minutos depois até o acesso à rodovia Senador José Ermírio de Moraes, que liga Sorocaba a Campinas. Depois de pegá-la na altura de Itu, o caminhão passa por municípios como Salto, Indaiatuba e Campinas, até voltar para Jundiaí, na concessionária da Iveco.

Parte da eficiência do Hi-Way vem do preciso conjunto do freio motor com Intarder, acionado por uma alavanca junto ao volante. No total, o caminhão chega a 980 cv de potência de frenagem, que transmitem segurança para descidas mais acentuadas mesmo com uma carga de 57 toneladas no bitrem implementado ao Hi-Way. Ao final, os dados monitorados pelo computador de bordo são coletados através de uma tomada USB pelo sistema Iveco Frota Fácil. Em 148,78 km rodados, o motor ficou ligado por duas horas e 55 minutos, sendo que 25 minutos deles com o caminhão parado. Com uma velocidade média de 59,4 km/h, o consumo computado foi de 1,86 km/litro de diesel com a carga de 57 toneladas. Uma média que coloca o modelo em posição de destaque na briga pelas vendas entre os extra-pesados premium brasileiros.

Fonte: Salão do Carro




13 comentários em “Avaliação do Iveco Hi-Way 560

  • 09/05/2014 em 18:01
    Permalink

    Iveco Hi-Way 560 possui o motor 13 litros mais potente do mundo. Esse caminhão é bonito demais! Qdo um passa num trecho não tem quem não torça o pescoço para vê-lo passar.

    Resposta
  • 08/05/2014 em 21:55
    Permalink

    Rsss… Suíno é o concorrente do Iveco… Brincadeiras a parte… Marealta eu tenho um amigo que tem 2 Iveco e um outro tem 1… Eles tbem estão felizes… Eu tenho 1 FH e nos viajamos sempre os quatro juntos… Fazemos o mesmo percurso… Sorriso x Santos e subimos e descemos carregado a diferença maior é na questão da manutenção o FH da bem menos manutenção e o custo das peças é menor e a facilidade de encontrar oficinas paralelas com mecânicos de qualidade e peças paralelas de qualidade é bem maior tbem o que me assustou nesse caminhão 560 da Iveco foi o consumo… Nos fazemos 1.9 a 2.0 km/l… Agora um caminhão desse no 7 eixos fazer 1,86 km/l é muito pouco.

    Resposta
  • 08/05/2014 em 19:06
    Permalink

    Tenho três iveco e estou muito feliz! Por que sera que a scania esta sendo vendida?

    Resposta
  • 08/05/2014 em 17:39
    Permalink

    Hoje em dia todos as marcas disponibilizam caminhões modernos, bonitos e confortáveis… parecem automóveis. Mas caminhão não é só isso. Primeiramente deve ser econômico, depois ter peças de reposição no mercado (não só em concessionárias) e por último, bom valor de revenda. Compare um Scânia R440 6×2 ou Volvo FH-460 6×2 com um Stralis Hi Way 440 6×2, ambos 13/13. A diferença do valor será surpreendente. E essa diferença não é a toa, ou seja, no final das contas não são a ‘mesma mercadoria’. Scânia e Volvo ainda estão numa categoria superior, quando se fale em todos os aspectos.

    Resposta
    • 19/05/2014 em 17:22
      Permalink

      O Amigo esqueceu o valor da compra 0 km.

      Resposta
  • 08/05/2014 em 17:02
    Permalink

    Vc deve ser vendedor da Iveco né Wilson… Rsss… Acorda companheiro… Qualquer Scania faz essa média ai nesse percurso… Mas tudo bem vamos colocar um Suinotrock pra comparar com esse Iveco ai… Isso ai não é média não… Como já disse anteriormente, tem que fazer 2,2 no 7 eixos… Hoje o maior vilão do transporte é o diesel e temos que trabalhar em cima da média. Se for pra correr, subir e não fazer média é muito mais barato comprar um caminhão com 3 anos de uso e mandar chipar te garanto que da muito mais resultado e o custo/benefício é muito mais satisfatório.

    Resposta
  • 08/05/2014 em 16:42
    Permalink

    coloca o fh no mesmo trecho pra ver se faz igual , se sobe igual …ou uma comparação mais justa coloca um fh 540 para efeito de comparação . fh já era amigo …o negocio agora e hi-way e mb 2655.

    Resposta
  • 08/05/2014 em 16:33
    Permalink

    Um caminhão desse com toda essa tecnologia embarcada tem que fazer 2,2 km/l no mínimo… Com um consumo desses o custo fica muito elevado em comparação com o FH 440 por exemplo… S-10 e Arla nem pensar…

    Resposta
    • 17/03/2017 em 12:37
      Permalink

      Eu não tenho o que falar do iveco. quero carro forte na mão isso é que mim importa , e meus funcionários agradecem .kkkk

      Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!