Mercado de equipamentos no Brasil desacelera

caterpillar




O mercado de maquinas e equipamentos do Brasil mostra uma desaceleração consistente nesse anos, de acordo com informações publicadas na imprensa nacional. Enquanto muitos fabricantes tinham expectativas com a proximidade da Copa do Mundo, a demanda não parece crescer, levando a associação de fabricantes a prever um 2014 com igual nível de vendas do ano anterior.

A Abimaq, entidade representante das empresas fabricantes de equipamentos no país, percebeu uma queda de 9,5% na venda de máquinas no primeiro trimestre de 2014 em relação ao mesmo período do ano passado. A comparação mês a mês também estaria caindo, de acordo com a associação.

Uma boa parte das obras de infraestrutura prometidas para o ano em função do Mundial não sairão do papel, principalmente as obras de construção ou reforma de aeroportos. Isso tem impacto negativo sobre a demanda de equipamentos de construção rodoviária e equipamentos da linha amarela.

A Abimaq previa um aumento na demanda antes e durante o Mundial, e após o evento uma queda por razões estatísticas. Mas o cenário ficou diferente e se o momento atual não correspondeu às expectativas, o futuro é ainda mais incerto.

Ainda assim, os equipamentos relacionados à construção não sofrem tanto como outros segmentos da indústria. Isso porque o governo federal mantém seu programa de compras de equipamentos para distribuição a municípios com até 50 mil habitantes. Para esse ano, o governo já informou que de R$ 1,1 bilhão estaria reservado para compra de motoniveladoras, escavadeiras, retroescavadeiras e carregadeiras. Esses equipamentos são aplicados em pequenas obras públicas municipais além de apoiar a agricultura local.

Fonte: KHL




Deixe sua opinião sobre o assunto!