PERIGO NA SERRA DE SANTOS – IVECO CURSOR 6X2

iveco_cursor_330

Cavalo mecânico Iveco Cursor
com trezentos e trinta cavalos.
Com o pé direito no acelerador
sou eu que consigo domá-los.

Cavalo mecânico imponente,
seis por dois a configuração.
Cavalgo esse bruto contente,
pois comigo vai minha paixão.

Contorno curvas, rasgo a reta.
Chicoteio o cavalo no aclive.
Na ultrapassagem ligo a seta.
Medo da estrada nunca tive.

Para levar, tenho carga certa,
rodando uma distância média.
Seja baú ou carroceria aberta,
do bruto não solto a rédea.

Subo e desço a serra.
container levo no lombo.
Neste trecho não se erra,
para não levar um tombo.

Saio do porto carregado.
Desço com carga ou vazio.
Ando com muito cuidado
e do meu bruto não judio.

Atualmente tenho puxado
carros para exportação.
Moleza para meu trucado.
Anda leve meu caminhão.

Transportando carros ao porto
passei meu maior sufoco.
Por assaltantes quase fui morto.
Escapei disso por muito pouco.

Neste dia de grande terror
puxava gaiola cegonheira.
Dirigia tranquilo o Iveco Cursor.
Andando da mesma maneira.

Quando iniciei a descida
marginal no carro mandou parar.
Mesmo em risco a minha vida,
ordem do bandido não iria acatar.

Tendo que andar com cuidado
pois a carga era muito valiosa.
O carro pôs-se a meu lado.
Arma disparava nervosa.

Pneus não foram atingidos
ou aconteceria uma tragédia.
Não conseguiria fugir dos bandidos.
Oitenta por hora velocidade média.

Em uma pequena reta
joguei a carreta nos bandidos.
Consegui a minha meta,
os criminosos estavam perdidos.

O carro bateu na mureta.
rodopiou e caiu na ribanceira.
Para os bandidos a coisa ficou preta.
Segui em frente com a cegonheira.

Não parei nem para ver
se alguém sobreviveu.
Como lá iria descer?
Não era problema meu.

Quem escolhe caminho do crime
sabe que enfrentará consequência.
Honestidade, jogo nesse time.
Procuro agir sempre com decência.

Tenho tranqüila a consciência,
afinal queriam tirar minha vida.
Defendi-me com competência,
desta dificuldade surgida.

Alguns dias do acontecido
li no jornal uma notícia.
Carro de grupo bandido
foi achado pela polícia.

Do fundo do desfiladeiro
o veículo foi içado.
Grupo criminoso e baderneiro
tinha no acidente se acabado.

Na perigosa Serra de Santos
Com meu Iveco Cursor trafego.
Anos na luta já foram tantos.
Qualquer carregamento eu pego.

No meu belo caminhão
carga bem leve eu carrego.
Do terceiro eixo não abro mão.
Priorizo a segurança, não nego.

No asfalto, boa aderência.
Bruto colado no chão.
No trecho tenho coerência.
Não arrisco meu caminhão.

Não preciso me exibir.
O caminhão é minha empresa.
Ganhar meu pão vou conseguir
sem pensar na riqueza.




Autor: Roberto Dias Alvares

Um comentário em “PERIGO NA SERRA DE SANTOS – IVECO CURSOR 6X2

  • 13/06/2014 em 06:08
    Permalink

    Essa estória fala dos perigos que os cegonheira enfretam levando carros, uma carga sempre cobiçada. Vale a pena ler…

    Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!