Seleções da Copa usam ônibus fabricados pela Marcopolo

onibus da Copa do Mundo




A responsabilidade para que tudo corra bem no transporte das 32 delegações, dos árbitros, da imprensa credenciada e da equipe de trabalho da Fifa/COL durante a Copa 2014 coube ao Comitê Organizador Local (COL), que firmou parceria comercial com a Kia \ Hyundai, maior grupo automotivo da Coreia do Sul e patrocinador do evento esportivo desde 2002.

Por questões contratuais, o COL não pode informar valores, mas graças à parceria terão 1.452 carros (das duas marcas) e 422 ônibus e micro-ônibus. As marcas dos ônibus, contudo, não são da Kia \ Hyundai, que preferiram alugar ônibus brasileiros, produzidos pela Marcopolo, pois não fabricam veículos de grande porte no Brasil.

Os ônibus para os times foram alugados junto às empresas operadoras locais, nas 12 cidades-sede, onde serão realizados os jogos da Copa. Cada seleção tem à sua disposição um ônibus na cidade onde está concentrada. O mesmo fará o trajeto entre o hotel e os campos oficiais de treinamento (COT), assim como o trajeto entre o hotel e o aeroporto ou estádio onde ocorrerá o jogo. Esses ônibus têm uma plotagem padrão em tom azul claro, com elementos customizados para cada seleção.

A equipe do COL também é responsável pela operação dos veículos e para tal contrataram 2.600 motoristas. Em cada uma das 12 cidades há uma garagem oficial, onde estão os veículos e onde ocorre o gerenciamento da operação de transporte dos diversos serviços daquela sede. Todos os motoristas contratados são residentes da própria cidade, o que dispensa custos com hospedagem.

O processo de contratação dos motoristas teve quatro etapas: pré-seleção, seleção, qualificação e a contratação propriamente dita. Uma vez contratados, os motoristas foram submetidos a um treinamento teórico, necessário para o sucesso das operações, como procedimentos de garagem e despacho, pontualidade, protocolos de embarque e desembarque em hotéis, aeroportos e estádios.

Ainda nessa fase de treinamento teórico, os motoristas receberam um conteúdo de responsabilidade social e sustentabilidade, em que foram abordados aspectos que podem ser usados durante o evento para reduzir os impactos no trânsito da cidade e no meio ambiente.

A última etapa do treinamento previu uma série de simulações das rotas in loco, passando pelos itinerários oficiais do evento, portões de acesso etc. Mas também foram traçadas rotas alternativas em caso de ocorrer algum imprevisto no caminho oficial. Fez parte do treinamento conhecer todas as rotas, de acordo com o COL.

O COL ainda contratou serviços exclusivos (parceria comercial com agência terceirizada) para o transporte aéreo, para atendimento das delegações. Até o final do torneio, serão 62 chegadas e partidas de voos internacionais envolvendo seleções e mais 400 voos domésticos também dedicados às seleções. Por questões contratuais o COL não divulga os nomes dos fornecedores terceirizados.

Fonte: Valor




Deixe sua opinião sobre o assunto!