Diretor da TRA comenta as peculiaridades do transporte de mercadorias para a região norte do Brasil

TRA Amazônia (2)




No último dia 10, a TV DISCOVERY MAX levou ao ar um excelente programa abordando com grande rigor de detalhes as dificuldades que nortearam a construção do novo estádio de futebol conhecido como a Arena de Manaus.

A cidade de Manaus é uma metrópole incomum; está situada no coração da floresta amazônica. É uma das doze cidades que estão sediando a Copa do Mundo de 2014. Manaus não tinha um estádio adequado para um evento internacional deste porte. O episódio televisivo à que fazemos referência revela o processo de construção do novo estádio, com capacidade para quarenta e quatro mil torcedores cujo custo final de construção superou os 600 milhões de dólares.

Nossa empresa, TRA TRANSPORTES DA AMAZONIA, recomenda ao que queiram conhecer um pouco da realidade logística da região Norte, que sintonizem com o canal de televisão mencionado, para conhecer, com elevado grau de detalhes alguns aspectos que queremos resumir.

TRA Amazônia (1)Todos sabemos que um projeto de construção desta magnitude está apoiado em importantes conceitos logísticos. No planejamento de execução desta obra, um dos principais desafios foi conviver com as oscilações climáticas da região com a previsão de numerosos dias de chuva torrenciais nos quais a obra teria que avançar de maneira extremamente lenta, atuar em um mercado regional carente de mão de obra especializada, realizar uma política de rigoroso seguimento de todo o material que deveria chegar à cidade de Manaus, procedente de vários destinos nacionais e internacionais e que deveriam estar disponíveis no momento oportuno para realizar o processo de montagem, e o mais importante, cumprir um rigoroso prazo de execução de obras.

As situações acima referidas alcançam uma grande transcendência pelo fato de que foram realizadas para a construção de um dos eventos televisivos de maior audiência mundial.

Entretanto e guardadas as devidas proporções, nossa organização convive, diariamente, com uma logística igualmente complexa para poder lograr o objetivo de posicionar no local adequado, na quantidade contratada e no tempo previsto, os milhares de conhecimentos de transportes de cargas que entregamos anualmente para a região norte do Brasil.

Sempre afirmei que ao detectar as oportunidades de negócios e as carências dos segmentos de logística e de transportes na região Norte do Brasil, notei que deveria materializar em um projeto empresarial a oportunidade que não dispunha ao representar organizações bastante importantes, mas que atendiam a região como uma obrigação imposta pelas respectivas casas matriz de integrar o Brasil, havendo um escasso interesse em buscar a especialização no transporte da zona como fator diferencial.

Ao assistir ao programa à que faço referência pude ter uma vez mais ratificado o acerto que supõe fazer da capital manauara a casa matriz da TRA – TRANSPORTES DA AMAZONIA como forma de oferecer ao mercado um serviço distinguido pela qualidade e especialização.

No espetacular programa, alguns aspectos chamam a atenção e são aspectos com os quais convivemos com frequência cotidiana: a equipe de engenharia que liderou o projeto chegou à conclusão que dados os aspectos logísticos envolvendo o fornecimento de materiais para a construção da cobertura metálica do estádio, era mais logico e econômico, que o referido material fosse fabricado em Portugal; o aspecto preponderante para tomar tal decisão foi a logística de distribuição.

O comandante do navio que realizou o transporte da estrutura metálica, que conta com ampla experiência em navegação declarou que era a primeira vez que navegava por um rio das dimensões do Rio Amazonas e que estudou com bastante detalhes as características do mesmo, como forma de não correr nenhum risco durante o período do complexo transporte fluvial.

A edição deste programa permite ainda entender as dificuldades e complexidade que norteiam a realização de um serviço que reúna a eficiência e a eficácia para realizar a última milha da cadeia de distribuição das mercadorias destinadas para a região Norte. Portanto, na TRA, temos um motivo a mais para estar orgulhosos de coordenar diariamente uma serie de meios como são: caminhões, balsas, barcos e navios fluviais, motoristas, carreteiros, sistemas informáticos, e outros meios para fazer com que cada produto que transportamos chegue ao consignatário final no tempo e na forma desejada. Ao cumprir esta missão contribuímos para que exista uma renovação no processo de intercâmbio comercial entre remetentes e consignatários; tudo isso conforma a riqueza expressa em importantes índices do desenvolvimento da região. Quando me refiro a uma oportunidade que não se repete, quero dizer que qualquer falha no sistema pode significar um encarecimento no custo do transporte e na frustração das expectativas dos canais expedidores e recebedores dos bens e produtos que transportamos dificultando a integração entre as diversas regiões do Brasil com a região Norte.

Fonte: Divulgação




Deixe sua opinião sobre o assunto!