Mercedes-Benz deve ampliar fatia apesar da queda do mercado

onibus_escolar_2




A cadeia produtiva de ônibus está sentindo os efeitos da desaceleração do setor automotivo. Porém, a líder Mercedes-Benz se mantém confiante, ainda que tenha registrado queda das vendas no primeiro semestre deste ano. Isso porque a marca aumentou os emplacamentos no segmento escolar, em que tinha pouca participação.

“Teremos que fazer alguns ajustes no mix de vendas para o ano, mas vamos conseguir minimizar os efeitos da queda do mercado”, afirmou, nesta quinta-feira (24), o diretor de vendas e marketing de ônibus da Mercedes, Walter Barbosa. Ele espera que a marca feche o ano com um declínio entre 3% e 5%. “O mercado total deve cair ainda mais, entre 15% e 18%”, garante.

De janeiro a junho, a montadora registrou 5,7 mil emplacamentos de ônibus no País, queda de 2,8% em relação ao mesmo período do ano passado. Porém, o mercado total teve um recuo ainda maior, de 14% na mesma base de comparação.

De acordo com Barbosa, o segmento de ônibus urbano foi surpreendentemente bem no primeiro semestre. “Com as incertezas geradas pelas questões tarifárias, já esperávamos uma queda. Porém, grandes praças como São Paulo e Rio de Janeiro renovaram a frota”, diz.

Segundo o executivo, os números do mercado total de ônibus no primeiro semestre não foram animadores, já que houve queda generalizada em todos os segmentos: micro-ônibus (13%), urbano (3%), rodoviário (26%) e escolar (18%).

Incentivos do governo

O programa “Caminho da Escola”, do governo federal, subsidia a compra de ônibus para áreas rurais. Segundo Barbosa, a iniciativa vem surpreendendo. “No ano passado, foram entregues 10 mil unidades”, diz. Em 2014, porém, houve uma redução significativa das entregas (3,5 mil até o momento). “Ainda assim, comemoramos os números. O segmento escolar não existia até 2007, quando o programa teve início. Hoje, já é o segundo maior para nós”, destaca.

A marca entrou na briga pelos ônibus escolares em 2013 e, no primeiro semestre deste ano, a Mercedes atingiu cerca de 45% de market share no segmento.

O mercado de ônibus rodoviários também deve ser impulsionado, segundo Barbosa. “Com a mudança do sistema de licitações para autorizações, os empresários devem sentir confiança para investir”, destaca.

Fonte : DCI Texto de Juliana Estigarríbia




Deixe sua opinião sobre o assunto!