Pela estrada do conhecimento

vanderlei_marcato1




Vanderlei Marcato sempre encontrou na oportunidade de novos aprendizados o caminho para driblar as dificuldades ao longo da vida. E foi dessa forma que, em 1997, o técnico em química, então desempregado, resolveu aceitar convite do irmão para trabalhar junto com ele como motorista. “Eu estava acostumado a dirigir apenas carro de passeio e meu irmão ficava bastante bravo quando eu errava a passada da marcha no Scania 111S dele. Costumava brincar que enquanto eu estivesse dirigindo só para a frente tudo bem; o problema ia ser na hora de manobrar”, conta ele, afirmando que chegou a pensar em desistir, mas recebeu o apoio e a orientação dos colegas para continuar seguindo.

Trabalhando com o transporte de cana, ele fez os primeiros cursos de capacitação em instituições como Senai, Sest/Senat e a Fabet. Depois atuou com containers, cargas secas e de siderurgia. “As características da carga interferem tanto no caminhão que se utiliza como na dirigibilidade do motorista, e é preciso se aperfeiçoar para estar apto a qualquer tipo de transporte”, destaca.

Do acidente ao diploma superior

Nem mesmo uma colisão frontal com outro caminhão, no final de 2009, que o deixou afastado do trabalho por quase dois anos, fez com que Vanderlei desistisse de crescer na carreira. “Aproveitei este tempo para realizar um antigo sonho que o dia a dia nas estradas não havia me permitido: fazer um curso superior ”, conta ele, que se formou em Logística na Faculdade de Tecnologia de São Paulo (Fatec) na cidade de Sorocaba, onde mora com a esposa Valdirene e a filha do casal, Eduarda. No dia da formauta, inclusive, Vanderlei foi homenageado pelo Conselho Regional de Administração pelo destaque como melhor aluno do curso Logística entre os formandos de 2013.

O diploma o ajudou a estar mais preparado para o desafio que recebeu da empresa, a Transportadora Vantroba, quando retornou ao trabalho. “Assumi a coordenação da manutenção, e hoje atuo com uma equipe de 17 profissionais, cuidando da frota de 450 veículos, entre modelos Off-Road e Semipesados.”

MMCB: a emoção de retornar à direção

Vanderlei já tinha ouvido falar do Melhor Motorista de Caminhão do Brasil, mas foi só em 2012, no final da sua recuperação, que decidiu participar da competição. Para isso, se dedicou em estudar para as provas teóricas, mas a parte prática ficou exclusivamente para o momento da prova, a primeira vez na direção desde o acidente.

“Fiquei muito emocionado porque, mais do que o desafio de fazer o teste, aquele foi o meu reencontro com o caminhão, o recomeço após um período muito difícil. O mais importante foi descobrir que eu estava pronto novamente. A paixão pela profissão, pelas estradas, falou mais alto”, relembra o motorista, que ficou em primeiro lugar na etapa regional da competição em 2012, e foi o 18º colocado na classificação nacional. “Este ano, já fiz a minha inscrição e o meu objetivo é nada menos que ser o grande vencedor!”

Fonte: Scania




Deixe sua opinião sobre o assunto!